Connect with us

Politica

“Angola precisa explorar na plenitude toda experiência que o Brasil possui”

Published

on

Angola e o Brasil trabalham para reforçar as relações de cooperação bilateral nos sectores do agronegócio, agricultura, agroindústria, comércio, pesca e indústria criativa.

“Angola precisa explorar na plenitude todo o conhecimento e experiência que o Brasil possui, principalmente em áreas que o país necessita para a diversificação da economia”, disse, o ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, após audiência concedida ao Embaixador do Brasil acreditado em Angola, Rafael Vidal, esta quinta-feira, 11, tendo apelado ainda a “advocacia da delegação brasileira para facilitar que mais empresários brasileiros olhem Angola como um país seguro para o seu investimento“.

Por sua vez, o embaixador Rafael Vidal, referiu que o Brasil tem em carteira vários projectos para ajudar Angola no seu desenvolvimento económico e social, com “destaque para a construção do Vale do Cunene, através da criação de um mecanismo de financiamento para o desenvolvimento económico integrado da região”.

Durante o encontro, foi defendida ainda a necessidade de criação da Câmara de Comércio Angola/Brasil, para que “através de envolvimento do sector privado de ambos os lados, haja a promoção de acções que facilitem o diálogo com as instituições do Estado, tendo em vista a atracção de investimentos, bem como o estabelecimento de parcerias mutuamente vantajosas”, diz a nota do Ministério do Comércio a qual o Correio da Kianda teve acesso.

Angola exporta para o mercado brasileiro produtos como a nafta pamasa indústria petroquímica, granitos, minerais, madeira, algodão, cimento, ferro fundido, alumínio, produtos cerâmicos, enquanto que importa do Brasil a farinha de milho, carnes, ferro, calçados, roupas, entre outros.

Colunistas