Connect with us

Economia

Empresas públicas com prejuízos milionários devido vandalização de bens

Published

on

A Empresa Pública de Produção de Electricidade “PRODEL” registou um prejuízo de mais de mil milhões de kwanzas, em acções de vandalização nos centros de produção de energia. Para o responsável da PRODEL, Arlindo Canbungo, a situação tem prejudicado o bom funcionamento da empresa.

Já a Rede Nacional de Transporte de Electricidade, registou um prejuízo de 6 milhões de dólares, em vandalizações de três mil torres. Os marginais, além das cantoneiras das torres de transporte de energia, retiram também os cabos de cobre.

Referir que o Caminho-de-Ferro de Luanda perdeu, só no primeiro trimestre deste ano, um total de 13 milhões de kwanzas, em consequência da vandalização dos meios.

A informação foi avançada pelo administrador técnico da empresa, Manuel Lourenço tendo adiantado que a vandalização atingiu níveis alarmantes, prejudicando também as novas estações do Novo Aeroporto Internacional de Luanda, que ainda não foram inauguradas.

Recordar que foi apreciada recentemente, em sessão ordinária do Conselho de Ministros, a proposta de lei destinada a sanção dos actos de vandalismo aos bens e serviços públicos, e vão passar a ser criminalizados com penas de prisão que variam entre 10 e 15 anos, dados os elevados prejuízos causados ao Estado e a colocação em risco da sustentabilidade do investimento público realizado para a satisfação das necessidades colectivas.

Para o ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, o principal objectivo desta Proposta de Lei está ligado ao facto de, nos últimos tempos, estar-se a assistir a um crescente número de actos de vandalização e destruição de bens e serviços públicos.