Connect with us

Politica

Zap Viva, Record TV e Vida TV estão em processo de regulamentação, garante ministro

Published

on

Estão em curso acções para a regulamentação das actividades da Zap Viva, Record TV e Vida TV, cujas emissões foram suspensas este ano, garantiu o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem.

O ministro, que falava, hoje, no parlamento, informou ainda que a TV Zimbo, a Rádio Mais e o Jornal O País serão privatizados, brevemente.

“Em relação aos órgãos de imprensa que foram recuperados está em curso um processo e, muito brevemente, iremos abrir um concurso para a privatização dos mesmos. Igualmente, sobre os órgãos que foram suspensos, no âmbito de uma transgressão administrativa do seu funcionamento, estão a trabalhar na regulamentação administrativa que lhes foi imposta no sector para que estejam dentro das normas e da Lei”, informou.

Em declarações divulgadas pela Rádio Nacional de Angola, Manuel Homem desmentiu ainda que a Angola Telecom é agora o sócio maioritário da Movicel, e falou sobre a sua privatização parcial:

“A Angola Telecom é mais uma das participadas desta empresa. No âmbito do programa de reestruturação, recentemente abrimos um concurso público internacional para colocar a gestão num operador privado. O objectivo é termos uma melhor gestão dessa infra-estrutura que garanta que os operadores tenham acesso a um serviço partilhado e menor esforço”.

Projecto ANGOSAT

O ministro Manuel Homem informou também aos deputados que o projecto ANGOSAT está a garantir serviços de compensação para a RNA, a TPA, serviços de telemedicina e rede de Mediatecas.

“O projecto está em curso. Não temos nenhuma limitação no ponto de vista de execução do projecto e os prazos estão a ser observados. Quanto às compensações, é importante esclarecer que no âmbito do programa do primeiro satélite, o ANGOSAT está a garantir os serviços de compensação e podemos dar exemplo concretos, a TPA emite com sinal de compensação do ANGOSAT-1, a RNA, igualmente. Os serviços de telemedicina que hoje estão disponíveis para vários hospitais nacionais são assegurados com os serviços de compensação do ANGOSAT e também outros serviços de disponibilização de Internet gratuita para o cidadão também são assegurados, no âmbito da compensação do projecto ANGOSAT”, explicou.

ANGOSAT é a denominação de um projecto estruturante que integra não só a construção, lançamento e operação dos satélites angolanos, mas também a criação de capacidade nacional em recursos humanos e infraestruturas, no âmbito da Estratégia Espacial Nacional 2016 – 2025.

Dentro do projecto estruturante ANGOSAT, existem actualmente dois grandes subprojectos, o ANGOSAT-2 e o Sistema de Observação da Terra (SOT). Mais informações aqui.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Colunistas