Connect with us

Sociedade

Zaire: Governador Mendes de Carvalho diz que contrabando de combustíveis está com dias contados

Published

on

O governador da província do Zaire, Adriano Mendes de Carvalho, garantiu nesta terça-feira, 27 de Setembro, em Mbanza Kongo, um combate cerrado contra o contrabando de combustíveis para a vizinha República Democrática do Congo (RDC).

Falando na primeira sessão do conselho provincial de auscultação e concertação social, o governante disse que este fenómeno tem sido a principal causa da escassez recorrente de gasóleo e gasolina na província do Zaire.

Questionou-se das razões de a região registar de forma recorrente a falta de combustíveis nas bombas, uma vez que para a província do Zaire recebe semanalmente mais quantidades dos derivados de petróleo que a capital do país, Luanda.

“Essa situação é preocupante. Temos que trabalhar para combater este mal que tem dificultado, até certo ponto, a locomoção das nossas populações”, rebateu , frisando que o fenómeno é já do domínio público.

Ademais, Adriano Mendes de Carvalho disse não se justifica uma cidade como Mbanza Kongo que tem um parque automóvel muito reduzido estar permanentemente a viver uma crise de combustíveis nas bombas.

Pediu, para o efeito, o apoio dos membros do conselho de auscultação e concertação social e a população em geral, no sentido de denunciarem eventuais casos, com vista a inverter esse quadro desolador.

O Governador pediu ainda especial atenção às forças de defesa e ordem interna destacadas em diversos pontos da província do Zaire para redobrarem a vigilância para se pôr cobro a este fenómeno que tem repercussões negativas à economia nacional.

A provínciado Zaire tem quatro municípios que partilham fronteira com a RDC, nomeadamente Mbanza Kongo, Soyo, Cuimba e Nóqui, num total de 310 quilómetros, dos quais 190 quilómetros de fronteira fluvial, através do rio Zaire.

As localidades fronteiriças do Luvo (Mbanza Kongo), Kimbumba (Soyo), Nóqui, Minga e Buela (Cuimba) são consideradas as principais portas de saída de combustíveis em grande escala para a RDC.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas