Connect with us

Politica

Verbas para a educação e saúde podem ser revistas assegura João Lourenço

As verbas alocadas aos sectores da educação e da saúde deverão ser revistas, apesar do Orçamento Geral do Estado (OGE) estar condicionado aos poucos recursos financeiros, assegurou nesta quinta-feira o Presidente da República, João Lourenço.

Published

on

Segundo o Chefe de Estado angolano, que falava no acto central da abertura do ano lectivo 2018, para os referidos sectores o Executivo está orientado a ser flexível na discussão na especialidade na Assembleia Nacional, antes da aprovação definitiva do OGE.    

Com base nessa orientação as verbas serão redistribuídas até onde for possível e recomendável, afirmou o Presidente na cidade de Moçâmedes, Namibe.

Na abertura do ano lectivo, o Presidente João Lourenço endereçou uma saudação aos “meninos e meninas que vão ingressar na escola pela primeira vez”.

A estes alunos, o Estadista desejou que a escola ilumine a sua mentes e os oriente, da melhor maneira, na escolha do seu caminho no futuro.

Apelou aos estudantes a reverem diariamente as matérias e não apenas em época de provas ou exames, para melhor construírem os seus conhecimentos.

O Presidente da República solicitou aos professores maior responsabilização na forma como os conteúdos são ministrados e avaliados.

Dados do Plano Nacional de Desenvolvimento 2013/2017, citados pelo Titular do Poder Executivo, referem que em finais de 2017 a cobertura escolar rondava em mais de dez milhões e 34 mil alunos matriculados nos diferentes níveis de ensino.

O referido indicador apontava para um aumento de dez porcento do rácio aluno/sala de aula e de 18 porcento do rácio aluno/professor.

Dentro do mesmo quadro ficou registada uma variação negativa de 12,4% da taxa de alfabetização.

No cumprimento da sua agenda de trabalho no Namibe, o Presidente da República deslocou-se quarta-feira ao município piscatório do Tômbwa, 93 quilómetros da cidade de Moçâmedes.

No mesmo dia, o Titular do Poder Executivo visitou o Hospital Ngola Kimbanda, a Academia de Pescas e manteve encontros com responsáveis do governo provincial e das igrejas Católicas e Metodista na região.

Hoje, além de ter presidido ao acto central de abertura do ano lectivo 2018, visitou o Pólo de Desenvolvimento Educacional da Praia Amélia e uma fábrica de polimento de mármore e granito.

Colunistas