Connect with us

Economia

Vendedeiras do Camama pedem transparência na distribuição dos lugares no Shopping Popular 

Published

on

Vendedeiras da zona do Camama dizem-se expectantes com a inauguração, nos próximos meses, do Shopping Popular que está a ser erguido naquela parcela da capital angolana, e pedem maior transparência na distribuição dos espaços.

Paula Ngueve vende roupa há mais de um ano na rotunda do Camama. Disse esta quarta-feira, 05, à Rádio Correio da Kianda, que reagiu com satisfação ao anúncio do GPL, da disponibilidade nos próximos dias de espaços no estabelecimento de iniciativa privada e “espera que o mesmo beneficie os que realmente precisam”.

Judith Cassoma Ambrósio, outra vendedeira da zona, diz esperar conseguir um lugar no futuro Shopping para comercializar os seus produtos de forma organizada.

António Matroquela alega esperar que a conclusão da infra-estrutura venha acabar com a venda desordenada que se regista naquela zona.

A previsão, segundo o Governo da Província de Luanda, é que mais de duas mil vendedeiras sejam realocadas num novo espaço para a actividade comercial estruturada e de massas, do tipo Cash and Carry, com mais de 400 lojas, incluindo armazéns e um espaço com todos os serviços agregados, na zona da Camama.

Mais de duas mil “zungueiras” serão realocadas em Shopping Popular no Camama

Formado em radiojornalismo, com passagem por órgãos de comunicação social públicos e privados. Possui formação internacional em Comunicação e Multimedia. Estudante do curso superior de Gestão/Comunicação e Marketing.