Connect with us

Sociedade

UPRA justifica subida de preço com a construção de um Hospital para os estudantes de Medicina

António Sacuvaia

Published

on

A Universidade Privada de Angola ( UPRA), justifica a subida de preços das propinas e dos emolumentos do curso de medicina, com a depreciação do kwanza, custos de material gastáveis usado nos laboratórios, e com a construção em curso de um hospital autônomo, para os estudantes de Medicina daquela instituição de ensino, apurou este Jornal de uma fonte ligada a UPRA.

Nesta quinta-feira ( 16), depois de vários impasses, a direção da UPRA reuniu com os estudantes do curso de medicina, que nos últimos dias têm estado a manifestar-se enfrente as instalações da Universidade, contra o aumento do preço das propinas.

Deste encontro, segundo fez saber um dos funcionários da UPRA contactados pelo Correio da Kianda , serviu para esclarecer aos estudantes, as causas e os motivos da alteração de preços, e na ocasião, segundo avançou, os alunos foram informados que doravante, o ciclo clínico destes cursos, passaram a ser praticados nas unidades sanitárias do CENTRO POLICLÍNICO UNIVERSITÁRIO ( CEPOU),  criado a nível para complemento ás práticas de formação.

A mesma fonte acrescenta, que o primeiro centro arranca ainda este ano, no mês de Março, período do início das aulas no Ensino Superior, com todas as valências de SAÚDE, com principais destaques, a Unidade de Bloco Operatório, Cuidados Intensivos, Maternidade, Pediatria, Laboratório, Urgência e Emergência, Trauma Room, Medicinas Interna, Cirurgia, e um infecto com 70 camas.

As mesmas unidades sanitárias, segundo explica, passarão a contar ainda com salas de aulas, com condições sanitárias próprias para os estagiários, cacifos, sala de coordenadores de curso, sala de leitura, uma biblioteca e cafeteria.

Esta em curso ainda, uma outra unidade hospitalar, já aprovada, com 100 camas de construção pré-fabricadas, para todas as valências que também ficará pronta ainda este ano de 2020.

Apesar de não ter havido um consenso entre ambas as partes, os estudantes ouvidos pelo Correio da Kianda, mostraram-se satisfeitos com a iniciativa da instituição, por se afigurar como mais-valia para a melhoria da qualidade do ensino.

Para esta sexta-feira, está previsto um novo encontro, entre a associação dos estudantes, que pedem negociação, e a direção da Universidade Privada de Angola.

Continue Reading
Advertisement
2 Comments

2 Comments

  1. Avatar

    Jose evaristo

    17/01/2020 at 8:10 am

    Os estudantes ficaram satisfeitos com a iniciativa da unidade escolar, desde quando é que os estudantes devem financiar projectos que o benefícios líquidos é dos accionistas? Será que eles estudam de favor?

    Não tem cabimento isso, a UPRA deve financiar os seus projectos de expansão com fundos próprios ou com financiamento bancário ou dos accionistas e não com bolso dos estudantes. Se não existe condições, faz favor não inventem.

    • Avatar

      Anónimo

      02/02/2020 at 12:40 pm

      O curso de medicina é caro em toda a parte do mundo. A Upra promete aos alunos melhorias no ensino. Isso chama-se investimento tanto dos alunos e os pais quanto da propria universidade. Investir com melhores professores e infraestruturas adequadas para prática médica. Mas concordo que ñ é correcto o aumento dos preços sem aviso prévio. Foi uma falta de respeito.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (18)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (73)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (13)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania