Connect with us

Sociedade

Universidade Católica de Angola demite professores e administrativos

António Cassoma

Published

on

Com a suspensão da reabertura das actividades lectivas e académicas, bem como o pagamento de propinas, as universidades privadas e público-privadas de Angola, estão a declarar falência e a efectuarem despedimentos em massa de trabalhadores.

Sem condições para honrar compromissos salariais por causa da suspensão de pagamento de propinas por tempo indeterminado, devido a pandemia da Covid-19, a Universidade Católica de Angola, comunicou o despedimento colectivo de trabalhadores docentes e administrativos,  afectos a esta instituição pertencente a Igreja Católica.

No documento a qual o Correio da Kianda teve acesso, a UCAN justifica que “sendo uma instituição superior privada, cuja a receita provem, maioritariamente, das propinas pagas pelos estudantes, num contesto de suspensão das aulas por tempo indeterminado, não tem capacidade financeira de honrar com os seus compromissos, designadamente, no que ao pagamento de salários se refere”.

No comunicado, assinado pelo seu reitor, dirigido a todo colectivo de trabalhadores docentes e administrativos, diz que pretende manter contrato com um número reduzido de funcionários para os serviços mínimos.

“Com a suspensão da actividade académica e pagamentos de propinas, vê-se na necessidade de rescindir os contratos com a maioria dos seus trabalhadores, mantendo-se apenas em execução aqueles que se manifestarem necessários para garantir a prestação dos serviços mínimos exigido”, diz o comunicado.

A Universidade Católica de Angola justifica a suspensão da relação jurídica-laboral com os trabalhadores desta instituição com fundamento “no disposto na alínea b) do artigo 193º da Lei geral de Trabalho em vigor”.

Recorda-se que a Universidade Católica de Angola lidera o ranking de melhor universidade no país, deixando para o  segundo lugar a universidade pública Agostinho Neto e em 3º lugar a Universidade Metodista de Angola, que, conforme noticiado pelo Correio da Kianda, também emitiu um comunicado de despedimento de seus funcionários.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (74)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (14)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania