Connect with us

Politica

UNITA vai declinar a sua participação na CIVICOP – ACJ

Published

on

Numa conferência de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira, 21, o presidente da UNITA anunciou que o seu partido vai cessar a sua presença na Comissão de Reconciliação em Memória das Vítimas dos Conflitos Políticos (CIVICOP).

“O nosso partido declina a sua participação neste organismo, por ele permanecer refém dos interesses espúrios do regime, como temos observado em diversos eventos e situações ocorridos ultimamente, não servindo assim para os fins que presidiram a sua criação: os da reconciliação nacional e da pacificação dos espíritos em Angola”, acusou, hoje, Adalberto Costa Júnior.

Criada em Abril de 2019, pelo Presidente da República, João Lourenço, a CIVICOP, tem como objectivo elaborar um plano geral de homenagem às vítimas dos conflitos políticos, ocorridos em Angola, entre 11 de Novembro de 1975 (Dia da Independência) e 04 de Abril de 2002 (fim da guerra).

Há uma semana, falando em exclusivo à Rádio Correio da Kianda, o representante da UNITA na Comissão para Implementação do Plano de Reconciliação em Memória das Vítimas dos Conflitos Políticos, Eugénio Ngolo Manuvakola, denunciou a existência de elementos estranhos da Comissão que visam promover “Abraçar e perdoar às vítimas dos conflitos, mas violam os decretos presidenciais”.

A reposta surgiu em reacção à informação veiculada pela imprensa pública sobre o destino incerto dado aos restos mortais dos antigos dirigentes do galo negro, mortos em 1991, segundo aquela fonte, supostamente a mando do seu líder fundador Jonas Savimbi.

De recordar, que o Plano de Reconciliação em Memória às Vítima de Conflitos Políticos prevê, entre outras questões, a emissão de certidões de óbito e a construção de um memorial único para todas as vítimas dos conflitos políticos registados no país.

Funciona como uma plataforma através da qual o país lida com os episódios de violência física ou espiritual e os mecanismos que proporcionam o diálogo convergente e evita factores que possam enfraquecer as bases para a construção da paz e reconciliação nacional.

UNITA fala sobre ossadas de Tito Chingunji, Wilson dos Santos e António Dembo