Connect with us

Politica

“UNITA não vai permitir que as instituições democráticas morram” – Kamalata Numa

Published

on

O general na reserva e Secretário Nacional para os Antigos Combatente e Veterano da pátria da UNITA, Abílio Kamalata Numa, disse que a UNITA vai continuar a defender as instituições resultantes desde 1992, como a formação das Forças Armadas e a Assembleia Nacional com a institucionalização da democracia no país, para que estas instituições não morram.

O político afirma que vão continuar a lutar para que as instituições continuem republicanas ou melhorem os seus posicionamentos como se fosse republicana e a Assembleia Nacional se desenvolva no sentido de fazer desta instituição como a base da normalização das demais instituições, incluindo o executivo e o poder judiciário.

“Nós angolanos temos que fazer o nosso caminho, daqui em diante, não perderemos mais nenhuma batalha para democracia e pelo Estado de direito”, disse.

Kamalata Numa disse que a sua formação política, encabeçada pelo seu grupo parlamentar, vai pressionar para que as instituições funcionem para que não sejam as pessoas e que o direito funcione de acordo ao plasmado na Constituição da República e permitir que a CNE funcione de acordo com as leis aprovadas.

“O grupo parlamentar da UNITA é a plataforma que vai desenvolver ações que permitam reformarmos o direito em Angola”, afirmou.

O responsável partidário assegurou que a UNITA vai fazer de tudo para que as leis em Angola sejam cumpridas e ajudar melhorar algumas, com o suporte da sociedade civil.