Connect with us

Politica

UNITA desmente possível destituição do líder da JURA

Published

on

O secretário nacional adjunto de Comunicação e Marketing da UNITA, Emanuel Bianco, desmentiu ao Correio da Kianda todas as acusações de uma possível substituição do secretário geral da Juventude Unida e Revolucionária de Angola (JURA), Agostinho Kamuango, braço juvenil da UNITA, e de pressionar a suspensão de outros dirigentes juvenis das demais províncias, supostamente, por não terem apoiado Adalberto Costa Júnior, candidato vencedor do XIII congresso ordinário deste partido, realizado de 13 à 15 de Novembro de 2019.

Emanuel Bianco negou tais acusações, considerando infundadas. “São falsas. As mudanças na JURA são feitas por meio de um congresso ou de um comitê nacional”, disse. Quanto a suposta pressão que o líder da JURA está a sofrer pela direcção do seu parido, o político esclarece que “isso não passa de umas querelinhas de pessoas que querem ter protagonismo”, afirmando mesmo que a JURA é o braço de apoio à direcção da UNITA.

Os queixosos asseguram que a actual direcção, liderada pelo engenheiro Adalberto Costa Júnior usam acções que, segundo eles, é inaceitável como arrogância, ditadura interna e chantagem contra Agostinho Kamuango, para trocar alguns secretários municipais e provinciais, porque no último congresso apoiaram um dos candidatos vencidos, Alcides Sakala Simões.

O líder da Juventude Unida e Revolucionária de Angola (JURA), Agostinho Kamuango, nega existir um processo de sua destituição e estar sob pressão de uma possível orientação para substituir os secretários municipais e provinciais.  “Os que estão a falar disso, talvez não sabem as normas que regem a nossa organização”, declarou e acrescentou que a sua saída da JURA está “fora de questão”.

Quanto às mudanças feitas nas últimas semanas, dos secretários municipais e provinciais Agostinho Kamuango, esclarece que “O secretário geral da JURA tem competência de nomear e exonerar de acordo com os estatutos por conveniência de serviço”, e a exoneração de um quadro da JURA, não deve ser vista como um problema porque a JURA rege-se pelo seu estatuto e do partido.

Explicou ainda que os secretários exonerados vão exercer outras funções dentro da organização juvenil.  Para Kamuango, não existe nenhuma pressão do Partido porque, segundo o jovem, a JURA é o braço de apoio da direcção do Galo Nego.

Recorda-se que Mfuca Muzemba antigo secretário geral da JURA foi suspenso em 2013 das actividades partidárias, por razões até hoje, menos claras, alegadamente por ter recebido de oferta de um apartamento no Kilamba, bem como, de ter pedido apoio para o seu casamento ao empresário Bento Kangamba.

Colunistas