Connect with us

Sociedade

UNITA apela “investigação profunda” ao sector da Saúde

Published

on

Num comunicado tornado público esta quinta-feira, 20, o Grupo Parlamentar da UNITA exortou a Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) a averiguarem “as causas mais profundas da crise sanitária do país, visando a correcção de comportamentos nocivos e a responsabilização dos autores, quer no plano administrativo quer no plano criminal, se for caso disso”.

Em causa estão denúncias feitas pelo Presidente do Sindicato dos Médicos Angolanos, Adriano Manuel, sobre uma alegada “crise que enfrenta o Sistema Nacional de Saúde, em que predominam a falta de verbas e a má gestão”.

O maio partido na oposição, no seu comunicado, manifesta “a sua profunda indignação pelo facto de os angolanos continuarem a morrer nos hospitais por situações caricatas de indisciplina, falta de autoridade e má gestão, caracterizadas pelo descaminho sistémico de fármacos, conservação inadequada de lotes de medicamentos, roubos e desvios estruturados de verbas orçamentadas, rupturas de estoques e outras práticas incorrectas lesivas ao bem comum”.

Insta, igualmente, o “Titular único do Poder Executivo do Estado, a tomar as medidas correctivas de emergência que a gravidade da situação exige, para a salvaguarda da vida humana e para a humanização do Sistema Nacional de Saúde”.

O GPU finaliza o comunicado reiterando a “sua determinação de tudo fazer para que a execução das verbas atribuídas ao sector da saúde no OGE e aquelas recebidas das Organizações internacionais das mais diversas formas seja feita com probidade, transparência e rigor, nos marcos da legalidade democrática e das exigências dos organismos regionais e internacionais de que Angola faz parte”.

Até o momento, o Ministério da Saúde ainda não emitiu comunicado sobre as denúncias feitas pelo líder do Sindicato dos Médicos Angolanos.

Mais informações, no Jornal da Noite, da Rádio Correio da Kianda.