Connect with us

Politica

UNITA acusada de “sacrificar” salários de jornalistas da Despertar para realizar festas no Uíge

Published

on

Os relatos de descontentamento por parte de profissionais da Rádio Despertar, estação ligada ao partido do Galo Negro, continuam com jornalistas a serem “sacrificados” devido os constantes e recorrentes atrasos de salário, por parte da direcção da UNITA, que nada faz para inverter o quadro. Situação, que já se arrasta desde o tempo de Isaías Samakuva.

Asseguram fontes do Correio da Kianda, junto da Rádio Despertar, que o número de jornalistas descontentes cresce todos os dias. Segundo fontes deste jornal, a direcção de Finanças da UNITA, até o momento não pagou os meses de Janeiro e Fevereiro aos jornalistas e profissionais da emissora, alegadamente para realizar as festas daquele partido na província do Uíge.

“Os relatos que nos chegam é que a UNITA ‘travou’ os nossos salários para realizar as festas do Uíge”, avança a fonte.

Com os preços dos bens alimentares cada vez mais altos, a alternativa para muitos jornalistas da Despertar sobreviverem tem sido os chamados “juros”, termo que também pode ser compreendido como uma espécie de “aluguer” de dinheiro. Fez saber a fonte deste jornal.

“Não está a ser fácil para ninguém aqui. Está mesmo difícil. A situação dos atrasos de salários está a nos deixar cada vez mais frustrados”, lamentou a fonte que temos vindo a citar.

Apurou o Correio da Kianda que o presidente da UNITA terá orientado, recentemente, o pagamento de todos os salários pendentes aos jornalistas e profissionais da Despertar, orientação que acabou por não ser cumprida pela direcção de finanças da UNITA.