Conecte-se agora

Opinião

Um olhar sobre o encontro do Presidente da República e líderes juvenis

Walter Ferreira

Publicados

on

um olhar sobre o encontro do presidente da república e líderes juvenis - Walter Ferreira - Um olhar sobre o encontro do Presidente da República e líderes juvenis

Este é o diagnóstico e o principal motivo de toda a descaracterização do Conselho Nacional da juventude, onde se deturpa a essência da participação plural de cidadania .

As questões levantadas pelos líderes juvenis foram repetidas nos encontros anteriores que por sinal o Conselho Nacional da juventude apresentou um memorando ao presidente da república, João Lourenço, e precisávamos saber o seu grau de exequibilidade.

Os problemas da juventude são os desafios da governação, as questões da habitação, emprego , só se podem resolver com um ministério da juventude com alcance estratégico, e é o órgão do executivo que por excelência tem esta responsabilidade política . Não se ouviu nada sobre a suposta ” roubalheira ” das residências que não foram destinadas as organizações juvenis e que estiveram na gestão do Conselho nacional da juventude. É uma questão que descredibiliza a própria instituição e deixa a sua autoridade beliscada para em nome do estado advogar os interesses da juventude.

Estes encontros só servem se forem vinculativos e não apenas de consulta pública.

O chefe de estado, João Lourenço deve em nota de sugestão, criar um gabinete de assessoria a toda política social da juventude, este sim seria com vocação o modelo de interação, reflexão, e produção de pareceres de política  juvenil de Estado. Os movimentos sociais de participação juvenil são abrangentes, criaram hoje a consciência colectiva de reivindicação de direitos. Estes direitos devem ser captados por um paradigma que reparte a visão institucional da juventude e a visão real.

O Conselho Nacional da juventude não defende as causas da cidadania, por ter um excesso de penetração ideológica e não facilita a ligação com os movimentos juvenis alternativos e directamente defender e regular a transversalidade das soluções. Para a plataforma juvenil para a cidadania , discutir o dia 14 de abril é contraproducente, o problema real não reside neste aspecto. Se é uma clivagem ela é tão somente de natureza partidária por se defenderem os patronos da juventude dos partidos políticos , através das origens de percurso dos mesmo.

Séria razoável dizermos que defem ser os líderes juvenis dos partidos políticos a se entenderem sobre a melhor data da juventude e não se fazer perceber ou até influenciar como sendo um assunto transversal da juventude .

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Publicidade

Colunistas

Ana Margoso
Ana Margoso (14)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (223)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (12)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (12)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (12)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (58)

Jornalista

Victor Hugo Mendes
Victor Hugo Mendes (9)

Jornalista e Escritor

Walter Ferreira
Walter Ferreira (6)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação