Connect with us

Mundo

Governo de Espanha anuncia reconhecimento da Palestina como Estado

Published

on

Pedro Sánchez, primeiro-ministro de Espanha, anunciou, quando o relógio em Luanda apontava para 07h30 minutos, o reconhecimento da Palestina como Estado soberano, um facto que aumenta assim o irritante diplomático com Israel.

”O objectivo é o alcance da paz”, declarou o chefe do governo espanhol.

Entre outros esclarecimentos, Sánchez admitiu que não lhe cabe a ele nem ao seu governo definir os limites do território da Palestina, sublinhando que apoiará a decisão que for definida em negociações.

E prometeu ampliar o apoio e cooperação com a Autoridade Palestiniana, o governo da Palestina reconhecido pela comunidade internacional.

Segundo agências internacionais, à semelhança da Espanha, Irlanda e Noruega vão reconhecer, oficialmente, um Estado palestino na próxima terça-feira. Ao juntarem-se a mais de 140 dos 193 Estados-membros das Nações Unidas que reconhecem um Estado palestiniano, Madrid, Dublin e Oslo afirmaram que procuraram acelerar os esforços para garantir um cessar-fogo na guerra de Israel com o Hamas em Gaza.

Até o momento, dos 27 membros da União Europeia, a Suécia, Chipre, a Hungria, a República Checa, a Polónia, a Eslováquia, a Roménia e a Bulgária já reconheceram um Estado palestiniano. Malta e a Eslovénia indicaram que poderiam seguir o exemplo.

A Grã-Bretanha e a Austrália afirmaram que estão a considerar o reconhecimento, mas a França, membro da UE, disse que agora não é o momento, enquanto a Alemanha juntou-se ao mais fiel aliado de Israel, os Estados Unidos, na rejeição de uma abordagem unilateral, insistindo que uma solução de dois Estados só pode ser alcançada através do diálogo.

O conflito, que foi desencadeado depois de militantes do Hamas invadirem a fronteira sul de Israel em 7 de Outubro, já matou mais de 36 mil palestinos, segundo o Ministério da Saúde de Gaza.
Israel afirma que o ataque inicial, o pior dos seus 75 anos de história, matou 1.200 pessoas e fez mais de 250 reféns.

Com agências internacionais

Actualizada às 11:45

Colunistas