Connect with us

África

Última hora: Chefe de Estado da Guiné-Bissau dissolve Parlamento

Published

on

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, decidiu dissolver hoje o Parlamento, na sequência dos confrontos de quinta e sexta-feira entre forças de segurança, que considerou tratar-se de um golpe de Estado, avança a imprensa internacional.

Esta decisão acontece após a noite de tumultos, de quinta para sexta-feira, onde Bissau foi palco de tiroteios entre a polícia e os militares e duas pessoas acabaram por morrer na sequências dos confrontos.

Segundo a imprensa internacional, o episódio que motivou a violência nas ruas da capital do país deveu-se à detenção do ministro da Economia e Finanças e do secretário de Estado do Tesouro.

“Militares terão invadido a prisão onde estavam os dois governantes, levando aos desacatos com a polícia”, refere a mesma fonte.

No sábado, Umaro Sissoco Embaló disse que o “teatro tinha acabado” e anunciou a criação de uma comissão de inquérito para apurar responsabilidades.