Connect with us

Mundo

Tunísia: Milhares na capital Tunis em protesto contra Presidente

Published

on

Mais de duas mil pessoas participaram, neste domingo, na primeira manifestação contra o presidente Kais Saied, organizada pela Frente Nacional da Oposição, formada recentemente por cinco partidos da oposição.

Exibindo cartezes, os manifestantes tunisinos exprimiam “Nós venceremos” e “Estamos unidos, não divididos”, como palavras de ordem de cerca de trêm mil manifestantes que defronte ao teatro municipal, na avenida principal de Tunes, se mostravam contra o presidente da República, noticiou na tarde deste domingo, a Agência France Press.

“O povo quer aquilo que tu não queres”, gritavam os manifestantes, dirigindo-se ao presidente Kais Saïed, e reclamando “o respeito pela Constituição e o regresso à democracia”.

Hoje, a secretária-geral do partido Tounes AL Irada, Lamia Khmiri, citada pela agência Efe, disse que veio até Tunes para lutar pelo futuro, “um futuro que respeite o Estado de Direito, respeite as instituições e os cidadãos”.

A 25 de julho do ano passado, Kais Said decretou o Estado de emergência e assumiu plenos poderes para “recuperar a paz social” – uma decisão que teve amplo apoio popular, embora a maioria dos partidos a descreva como “golpe de Estado” e exija um diálogo nacional inclusivo para sair da crise.

Desde então, o Presidente dissolveu, em fevereiro deste ano, o Conselho Superior da Magistratura, em março o parlamento e, um mês depois, alterou a composição da Comissão Superior Independente das Eleições, encarregada de monitorizar os processos eleitorais desde o início da transição democrática da Tunísia, em 2011, e que deverá zelar pelo normal decurso dos próximos atos eleitorais: o referendo sobre o novo texto constitucional e as legislativas de 17 de dezembro.

Assim, muitos dos participantes na ação de protesto de hoje admitiram ter votado em Said nas presidenciais de 2019, mas agora temem a o rumo que o país pode levar.

A pretensão do chefe de Estado tunisino de eliminar os partidos políticos ou a sua política por decreto está a gerar desconfiança entre muitos dos sectores da população.

A popularidade de Kais Said continua a cair e, segundo inquéritos locais, à medida que aumenta a preocupação entre os cidadãos pela estratega política que está a ser seguida e, sobretudo, pela situação económica do país, numa altura em que existe uma taxa de desemprego elevada e um aumento da inflação.

A Frente Nacional da Oposição foi constituida a 26 de abril em torno do veterano de esquerda Ahmed Nejib Chebbi, para enfrentar o presidente Saied.