Connect with us

Mundo

Trump acusa juiz de ser parcial e quer julgamento em Nova Iorque anulado

Published

on

Donald Trump solicitou hoje o anulamento do julgamento em que é acusado, com dois filhos e executivos da Organização Trump, de inflaccionar os valores dos activos para conseguir condições favoráveis de bancos e seguradoras.

Para fundamentar a pretensão, Trump argumentou que o juiz que preside ao julgamento, que decorre em Nova Iorque, e a sua assistente têm preconceitos políticos.

Os advogados do multimilionário apresentaram o pedido no Supremo Tribunal, em Manhattan, onde decorre o julgamento, que começou em 02 de Outubro e tem o fim previsto para meados de Dezembro.

“A evidência de parcialidade aparente e real é tangível”, indicou-se no documento apresentado pelos advogados, publicado na plataforma do sistema judicial.

“Tais provas, junto com um desvio inédito do procedimento judicial padrão, contaminaram os procedimentos e justificam a anulação do julgamento”, acrescentou-se.

Os advogados argumentaram que o juiz Arthur F. Engoron realizou “atividades extrajudiciais” que consideraram “inapropriadas”, como incluir artigos sobre o caso em um boletim informativo para ex alunos da sua escola secundária.

Também apontaram os donativos políticos da assistente, Allison Greenfield, que já foi criticada, em termos pessoais, por Trump.

Estas críticas levaram mesmo o juiz a ordenar a Trump que não faça comentários públicos sobre o pessoal do tribunal.

Formado em radiojornalismo, com passagem por órgãos de comunicação social públicos e privados. Possui formação internacional em Comunicação e Multimedia. Estudante do curso superior de Gestão/Comunicação e Marketing.

Colunistas