Connect with us

Mundo

Tropas russas estão a ser acusadas de saquear Ucrânia

Published

on

Já são recorrentes os relatos com acusações de saque na Ucrânia por tropas russas. As mais recentes, hoje divulgadas, pela CNN Portugal, apontam para roubo de máquinas agrícolas na Ucrânia, de uma conhecida compania de equipamentos agrícolas levadas para mais de mil kilometros de distância.

Na semana finda, as tropas russas terão pilhado material agrícola no valor de quase cinco milhões de Euros. Parte do material foi levado para mais de 1.100 quilómetros de onde estavam. À chegada, nem terão conseguido ligá-los, por ter sido desligado remotamente pelos técnicos ucranianos.

Segundo a CNN Portugal, que cita um empresátio local, as tropas russas na cidade ocupada de Melitopol roubaram todos os equipamentos de uma concessionária de equipamentos agrícolas, e enviaram-nos para a Chechênia, mas, para a sua surpresa depois de uma viagem de mais de 1.100 quilómetros, os ladrões não conseguiram usar nenhum dos equipamentos, por terem sido trancados remotamente.

Nas últimas semanas, tem havido um número crescente de relatos de tropas russas que roubam equipamentos agrícolas, cereais e até materiais de construção – além de saques generalizados de residências. Mas a retirada de valiosos equipamentos agrícolas de uma concessionária John Deere em Melitopol mostra uma operação cada vez mais organizada, que até usa transporte militar russo como parte do assalto.

Saque a residências e violações sexuais de mulheres têm sido relatados, com maior intensidade desde o passado mes de Abril, principalmente na cidade portuária de Mariupol.

De acordo com o canal televisivo, o equipamento em causa foi retirado de uma concessionária Agrotek em Melitopol, ocupada pelas forças russas desde o início de março. Ao todo, o equipamento roubado está avaliado em quase cinco milhões de dólares (4,7 milhões de euros). Só as máquinas de colheita valem 300 mil dólares (285 mil euros) cada um.

O empresário Ucraniano refere que o processo de saque começou com a apreensão de duas máquinas de ceifar, um trator e uma semeadora. Nas semanas seguintes, tudo o resto foi retirado: todas as 27 máquinas agrícolas. Um dos camiões de plataforma usados, e filmados por uma câmara, tinha um “Z” branco pintado e parecia ser um camião militar. Acrescentou ainda que os saqueadore estão em grupos rivais, sendo que uns aparecem a noite e outros durante o dia.




A sofisticação das máquinas, que são equipadas com GPS, permitiu o rastreamento das viagens. Elas foram rastreadas pela última vez na vila de Zakhan Yurt, na vizinha República da Chechênia.

As tropas estarão, desconfia o empresário, a desenvolver actividades agrícolas, pois, de acordo com o GPS as máquinas estão agora a definhar numa fazenda perto de Grozny. “Parece que os sequestradores encontraram consultores na Rússia que estão a tentar contornar a proteção” para usar os equipamentos.

“Mesmo que eles vendam as debulhadoras para peças de reposição, vão ganhar algum dinheiro”, disse.

Uma fonte disse à CNN que “os ocupantes estão a oferecer-se aos agricultores locais para partilhar seus lucros em 50% a 50%”. Mas os agricultores que tentam trabalhar em áreas ocupadas por tropas russas não conseguem transportar os seus produtos. “Nem um único elevador funciona. Nenhum dos portos está a funcionar. Não vai conseguir levar esses cereais do território ocupado para lugar nenhum.” Então, as forças russas estão simplesmente a ficar com os cereais, disse a fonte. “Eles roubam, levam para a Crimeia e pronto.”

Na semana passada, o presidente da Câmara de Melitopol publicou um vídeo a mostrar um comboio de camiões a sair de Melitopol, supostamente carregado com cereais. “Temos provas claras de que eles descarregaram cereais do elevador da cidade de Melitopol. Eles roubaram o elevador assim como quintas particulares”, disse o autarca.

Em um comunicado divulgado na sexta-feira pela Reuters, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia afirma que “o saque de cereais da região de Kherson, bem como o bloqueio de navios em portos ucranianos e de rotas marítimas ameaçam a segurança alimentar mundial”.

O Ministério exigiu que a Rússia pare “o roubo ilegal de cereais, desbloqueie os portos ucranianos, restaure a liberdade de navegação e permita a passagem de navios mercantes”.

“Através das suas ações ilegais, a Rússia está a roubar não apenas a Ucrânia, mas também os consumidores no estrangeiro”, acusa a Ucrânia.

Também na sexta-feira, o Estado-Maior General das Forças Armadas da Ucrânia afirmou que as tropas russas estão “a roubar” stocks de trigo, enquanto os combates continuam nas regiões leste e sul do país.

Até ao momento a Russia não fez qualquer pronunciamento oficial sobre as acusações de roubo, saque e das violações sexuais contra as mulheres ucranianas.