Connect with us

Desporto

Tomás Faria pode concorrer a sua própria sucessão no Petro de Luanda

Published

on

O Atlético Petróleos de Luanda, liderado desde 2014 por Tomás Faria, dá o pontapé de saída para a renovação de mandatos, com a realização, a 27 de Janeiro, na sede do clube, da Assembleia-Geral Ordinária de sócios.

Dentre os vários pontos da agenda consta o anúncio da data para a realização das eleições do elenco que vai dirigir os destinos do clube no Ciclo Olímpico 2024-2028, segundo uma nota a que a Rádio Correio da Kianda teve acesso.

Outro ponto não menos importante, a ser discutido e guardado a ‘sete chaves’ pela direcção tricolor, é a deliberação acerca da alteração pontual dos estatutos daquela formação desportiva fundada em 21 de Janeiro de 1980.

Quanto à futura direcção do Petro de Luanda, segundo soube o Jornal dos Desportos, Tomás Faria é o candidato natural da Sonangol, maior empresa pública do país. A pretensão ainda foi anunciada oficialmente.

Estatutariamente, nada impede que Tomás Faria concorra a mais um mandato, pois a efectivar-se será o terceiro de forma consecutiva, após os ciclos olímpicos 2016-2020 e 2020-2024.

Quadro sénior da petrolífera, Tomás Faria que está na presidência do clube desde 2014, é perito em contabilidade, goza da confiança das chefias da Sonangol, por ser o responsável por conduzir o processo de saneamento financeiro no clube.

No futebol, desde que chegou ao comando dos petrolíferos, Faria conquistou dois títulos do Campeonato Nacional da I Divisão e por várias vezes foi vice-campeão.

O basquetebol e o andebol, que fazem o top três das modalidades nucleares do clube, são as que deram mais troféus ao actual consulado.

Formado em radiojornalismo, com passagem por órgãos de comunicação social públicos e privados. Possui formação internacional em Comunicação e Multimedia. Estudante do curso superior de Gestão/Comunicação e Marketing.