Connect with us

Sociedade

Taxa de acesso à água em Angola aumentou 4% em 17 anos

Published

on

A taxa de acesso à água no país registou um aumento de 4% entre 2000 e 2017, avançou, recentemente em Portugal, o engenheiro Lucrécio Costa, quando apresentava naquele país europeu, as perspectivas gerais do sector em Angola, no âmbito da semana mundial da água.

No âmbito da Semana Mundial da Água, celebrada a 22 de Março de 2023, o Engenheiro Lucrécio Costa, antigo secretário de Estado das Águas, abordou a perspectiva geral do sector de Wash em Angola no 16º Congresso de Água de Portugal.

O sector de Wash compreende o sistema de abastecimento de água, saneamento e higiene.

Para o antigo governante, 66 por cento da população têm acesso a uma fonte de abastecimento de água melhorado, no entanto, a taxa de acesso aumentou apenas 4% entre 2000 e 2017.

Já 70 por cento têm acesso às instalações de saneamento melhoradas, no entanto, 6 milhões de pessoas continuam a praticar a defecação ao ar livre.

Referiu igualmente que apenas 42 por cento dos angolanos têm acesso a uma instalação de lavagem das mãos, muito abaixo da média de 59% para a África Subsaariana.

“As crianças com acesso limitado aos serviços de água e saneamento são mais susceptíveis à desnutrição…”, disse Lucrécio Costa, para quem, mais de um terço de todas as crianças com menos de cinco anos em Angola são raquíticas, 5% sofre de definhamento e 19% tem um peso inferior ao normal.

O engenheiro Lucrécio Costa fez apresentação síntese de uma obra publicada em livro, diante de vários plêiades do sector em Portugal, tendo participado nas discussões com outros especialistas de renome no caso do Camilo Lombana Cordoba, Luís A. Andrés e Crystal Fenwick.

Nesta senda, o objectivo de desenvolvimento do projecto visa fornecer evidência sobre o estado actual dos serviços de WASH urbanos em Angola- com um enfoque específico no saneamento e sinergias intersectoriais – informar o Governo de Angola, o Grupo do Banco Mundial e os parceiros de desenvolvimento sobre políticas, estratégias e práticas concebidas para melhorar a qualidade dos serviços de WASH nas áreas urbanas com a finalidade de aumentar o desenvolvimento humano global.

As despesas médias em WASH representam 0,3% do PIB ou USD 376 milhões, cobrem menos de 25% do investimento anual estimado necessário para alcançar os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável(ODS).

Para se atingir o acesso universal aos serviços de WASH até 2030, “é fundamental para a agenda de desenvolvimento de Angola e exigirá um esforço concertado em nome do Governo para acelerar o processo de reforma do sector da água garantindo ao mesmo tempo um compromisso proporcional para com os subsectores do saneamento e da higiene”.

A concretização desta visão exigirá uma gestão diligente, supervisão e monitorização ao longo do processo de reforma, exigindo uma estreita coordenação e comunicação entre as principais agências a todos os níveis, assim como entre o Governo de Angola e os seus parceiros de implementação.

O Banco Mundial é um dos altos patrocinadores da actividade e está envolvido em vários eventos paralelos e discussões.

Como a maior fonte multilateral de financiamento da água no mundo nos países em desenvolvimento, o Banco Mundial está a trabalhar em estreita colaboração com parceiros para alcançar “Um Mundo Seguro para a Água para Todos”, sustentando os recursos hídricos, prestando serviços e construindo resiliência.

O 16º Congresso de Água foi realizado no Centro de Congressos do LNEC, em Lisboa, de 21 a 24 de Março, dedicado ao lema “Viver com a água”, presidido pelo Ministro da Economia e do Mar de Portugal, António Costa Silva.

A Conferência da Água da ONU 2023 – formalmente conhecida como Conferência de 2023 para a Revisão Abrangente de Médio Prazo da Implementação da Década das Nações Unidas para a Acção sobre Água e Saneamento (2018-2028) – aconteceu na sede da ONU em Nova York, de 22 a 24 de Março de 2023, co-organizada pelo Governo do Tajiquistão e pelo Reino dos Países Baixos.