Connect with us

TRANSPORTES

TAAG: Ministro felicita Conselho de Administração pelo plano estratégico de longo prazo

Published

on

O ministro dos Transportes, Ricardo Viegas D’Abreu, felicitou esta sexta-feira, 8, o Conselho de Administração da TAAG, pelo trabalho que a companhia tem vindo a fazer pelo país, numa altura em que são constantes as reclamações de passageiros que usam a companhia para as suas deslocações.

O governante falava ontem em Luanda, por ocasião da cerimónia de celebração dos 85 anos de existência da companhia área nacional de bandeira, que coincidiu com a apresentação da nova sede da empresa.

O ministro considerou a apresentação do plano estratégico de longo de prazo por parte daquele conselho de Administração como motivos de destaque, por entender que o referido plano trás perspectivas positivas sobre o crescimento de rotas, frota e capital humano especializado, bem como, pelos resultados positivos obtidos no último exercício financeiro.

‘É com elevada honra que, como representante do Governo de Angola, tomo a palavra, neste acto, de comemoração do 85º aniversário da TAAG, cujo legado advém desde a criação da DTA (Divisão de Exploração de Transportes Aéreos de Angola) em 1938, cujo dia coincide com a apresentação da Nova Sede da TAAG aos parceiros institucionais”, disse no discurso.

Garantiu, por outro lado, que o Executivo está empenhado na criação de políticas que visem atrair players internacionais, investidores, financiadores e fornecedores diversificados, e por isso defendeu que a “aviação comercial desempenha um papel importante ao assegurar ligações regulares com os grandes centros de decisão, aproximando as economias, promovendo negócios bilaterais e a circulação de pessoas e bens”.

Uma das medidas, continuou o governante, é a aprovação, pelo Conselho de Ministros, a simplificação do processo de concessão do visto de turismo para Angola, o que considerou como sendo um exemplo a nível macro, de estímulo relevante à economia, o que constitui para a TAAG “uma janela de oportunidade para captar tráfego internacional para Luanda e demais províncias de Angola”.

Sublinhou, por outro lado, que a adesão e implementação de Angola ao objectivo de “céu aberto” à luz dos organismos reguladores internacionais e dos compromissos da União Africana, para o SATAAM e a Zona de Comércio Livre Continental, vão exigir da Companhia, uma maior dimensão, capilaridade e competitividade.

“Estamos certos, porém, que a jornada de modernização e transformação da TAAG vai gerar sinergias positivas, e que a visão e missão da Companhia serão alcançadas com o esforço e trabalho colaborativo de todas as partes interessadas”, afirmou.

O ministro Ricardo D’Abreu referiu que o executivo angolano tem implementado reformas estruturais que visam situar o País como um destino seguro para a mobilidade aérea, aumentar a atractividade da região, e tornar Angola num hub competitivo.

Sobre a TAAG

Foi criada a 8 de Setembro de 1935 com a designação de Divisão dos Transportes Aéreos de Angola (DTA). Dois anos depois anos depois, em 1940, começou a operar as viagens aéreas, com uma frota de cinco pequenas aeronaves. Namibe, Lobito e Ponta Negra foram os destinos, a partir de Luanda.

Em 1973 a empresa ganha a designação de Transportes Aéreos de Angola (TAAG).
Actualmente, a companhia nacional de bandeira tem uma frota de 21 aeronaves que voam para 28 destinos entre nacionais, regionais e intercontinentais.