Connect with us

Sociedade

Subsídio de isolamento será 65% do salário base, garante Executivo

Published

on

O Executivo angolano garante 65% do salário base para subsídio de isolamento aos funcionários em zonas recônditas.

A revelação é do Director Nacional do Trabalho, António Estote, em declarações à imprensa neste sábado, em Luanda.

O responsável disse que os mais de 100 mil funcionários públicos e agentes administrativos colocados em zonas recônditas vão ser incentivados com a fixação de uma tabela de subsídio de isolamento, cujo acréscimo ocorre sobre 65 por cento do salário-base.

O subsídio para incidência sobre o salário base, dos quais 30 por cento para o isolamento, mais 30 por cento para renda de casa e cinco por cento para as questões complementares.

António Estotes adiantou que o número de funcionários das zonas recônditas tem sofrido oscilações constantes, em função de algumas transferências e admissões de novos quadros.

Sobre o assunto, o economista José Macuva disse que “a medida ambígua por falta de classificação das zonas recônditas, entre as cidades provinciais, municipais”, entre outras. O especialista entende que a situação poderá criar conflitos de interesses.

Macuva pensa que “será difícil o subsídio atrair funcionários para o interior do país, por falta de serviços básicos como energia eléctrica, internet, entre outros factores”. José Macuva é de opinião que “o emagrecimento gradual do executivo faz-se necessário, para dar mais liberdade económica”.

O Executivo disse que disponibilizou um total de 70 mil milhões de kwanzas para pagar, a partir do próximo mês de Março, os subsídios em todo o país, tendo definido como subvenção para a instalação, pela primeira vez, dos trabalhadores, o equivalente a 50 por cento do salário-base.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.

Continue Reading
2 Comments

2 Comments

  1. Mampaxi Cláudio Correia Cardoso

    13/02/2024 at 7:12 pm

    Para quando a sua implementação?
    Os funcionários sobre bastante trabalhando distante de casa, obrigando-nos a fazer muitos gastos em alimentação, e condições de hospedagem. Sem tocar ainda as condições de saúde precária e saneamento básico quase inexistente em algumas localidades.

    • DANGER

      14/02/2024 at 9:00 am

      Se todas as promessas que o dito”executivo” faz se realizasse Angola seria ##DUBAI e #Benguela em #CALIFORNIA
      🤣🤣🤣😂😂😂😂😂🥱🥱🥱🥱🥱🥱🥱🥱

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas