Connect with us

Desporto

Sporting vence nos penáltis e conquista a Taça de Portugal

Luiz Phellype marcou a grande penalidade decisiva, após um empate a dois golos diante do FC Porto.

Redação

Published

on

OSporting conquistou, este sábado, no Jamor, a 17.ª Taça de Portugal da sua história, ao bater o FC Porto nas grandes penalidades, por 5-4, depois de um empate (2-2) no prolongamento. Luiz Phellype apontou o pontapé da marca dos 11 metros decisivo, após Renan ter parado o remate de Fernando Andrade.

Sem Ristovski nem Borja, Marcel Keizer apostou em Bruno Gaspar à direita e Acuña à esquerda e foi exatamente por aí, através do argentino, que os leões começaram a criar perigo. Num ambiente verdadeiramente fantástico no Estádio Nacional, com as duas claques a protagonizarem uma festa sem par nas bancadas, os primeiros cinco minutos pertenceram à formação de Alvalade.

No entanto, a primeira grande ocasião de golo pertenceu aos comandados de Sérgio Conceição, que lançou Soares como homem mais adiantado, deixando Marega descair mais para a direita, com o apoio de Brahimi, à esquerda, e Otávio, nas costas. Foi precisamente o médio brasileiro que, aos 6′ minutos, obrigou Renan à defesa inaugural do encontro.

A resposta do Sporting não tardou. Aos 10′, Bruno Fernandes também testou a atenção de Vaná, com um belo remate de meia distância, e aos 11′, na sequência de um livre do internacional português, Raphinha ficou a centímetros do golo.

A partida estava eletrizante, com oportunidade de parte a parte, e previa-se que o golo surgisse mais tarde ou mais cedo. Prognóstico que não falhou. Aos 24′, após uma perda de bola de Bruno Gaspar em zona proibida, Marega deu vantagem aos dragões. Contudo, após indicação do VAR, o árbitro Jorge Sousa assinalou fora-de-jogo do maliano.

À passagem da meia hora voltou a ser o Sporting a gerar ansiedade nas bancadas, novamente com Bruno Fernandes como protagonista. O capitão apareceu à entrada da área, tentou dar a melhor sequência ao cruzamento de Wendel, mas o ‘tiro’ saiu ao lado.

O grande momento de ‘explosão’ no Jamor estava mesmo guardado para os 41′ minutos, com o FC Porto a adiantar-se no marcador. Alex Telles cobrou o livre no lado esquerdo, a defesa do Sporting cortou a bola para os pés de Herrera e o mexicano cruzou para o segundo poste, onde Soares, de cabeça, mais alto do que todos os opositores, bateu Renan. O juiz da partida ainda esperou velo veredicto do VAR, mas acabou por validar o golo dos azuis e brancos.

Já quando se pensava no intervalo, o Sporting chegou mesmo ao empate no último lance da primeira parte, pelo suspeito do costume. Novamente pelo lado esquerdo, os leões conseguiram desequilibrar e Bruno Fernandes, à dentro da área, atirou cruzado, de pé esquerdo, não dando hipóteses a Vaná, que ainda viu a bola desviar em Danilo. Estava restabelecida a igualdade e garantida emoção para o segundo tempo.

 

NM

Continue Reading
Advertisement
1 Comment

1 Comment

  1. Pingback: Bruno Fernandes marcou belo golo… mas o VAR estragou-lhe a festa – Current Affairs of This Month

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (77)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (15)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2020 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD