Connect with us

Economia

Sonangol fica com 50% do capital da Unitel

Redação

Published

on

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) procedeu à compra integral da PT Ventures SGPS S.A. (PT Ventures), uma empresa até então detida indirectamente pela Brasileira Oi, processo de aquisição que habilita a petrolífera angolana a deter a partir de agora 50% do capital da Unitel.

A PT Ventures é uma sociedade de direito português, sendo titular de participações sociais em duas Empresas de direito angolano, nomeadamente a Multitel – Serviços de Telecomunicações Lda. (40%) (“Multitel”) e a Unitel S.A. (25%) (“Unitel”).

A PT Ventures detém igualmente direitos de crédito de dividendos declarados pela Unitel e já vencidos e de um conjunto de direitos indemnizatórios decorrentes da decisão final proferida por um Tribunal Arbitral, constituído no âmbito da arbitragem iniciada na Câmara do Comércio Internacional (ICC) pela PT Ventures contra os demais accionistas da Unitel S.A.

De acordo com uma nota de imprensa da petrolífera angolana enviada à Angop, a aquisição envolveu o pagamento de um montante inicial de 699 milhões de dólares e um pagamento diferido de 240 milhões de dólares.

Esta aquisição pela Sonangol tem como objectivo principal permitir a estabilização e a normalização das actividades da Multitel e da Unitel, considerando, sobretudo, a importância estratégica desta última para Angola, na medida em que é a maior operadora de redes móveis no país, detendo uma cota de cerca de 80% do mercado de comunicações móveis e de dados, e é um dos maiores empregadores privados do país.

Nos últimos anos a Unitel tem-se visto envolvida numa disputa accionista que tem impedido o investimento e desenvolvimento da empresa, conduzindo previsivelmente a uma deterioração da sua condição económica e financeira, caso não sejam criadas as condições que permitam alcançar um consenso accionista.

Antes da consumação do processo de aquisição da PT Ventures pela petrolífera angolana, a Unitel contava com quatro accionistas, cada um dos quais com 25%. São eles a PT Ventures (detida pela brasileira Oi), a MSTelecom/Sonangol, a Geni (do general Leopoldino do Nascimento) e a Vidatel (de Isabel dos Santos).

Com esta aquisição, a Sonangol espera reunir condições para que a gestão da Unitel possa aprovar o plano de negócios da empresa, realizar os investimentos necessários e assegurar a estabilidade e a preservação dos postos de trabalho.

Trata-se de um investimento bastante atractivo da Sonangol, porquanto a PT Ventures, para além do seu valor de mercado (“equity value”), tem direito ao recebimento de aproximadamente 1.100 milhões de US dólares de dividendos declarados pela Unitel e já vencidos e, bem assim, de um conjunto de direitos indemnizatórios decorrentes da decisão final proferida por um Tribunal Arbitral contra os demais acccionistas da Unitel no valor aproximado de 350 milhões de US dólares.

A Sonangol, que já é detentora indirecta de 25% da Unitel, passa agora a consolidar 50%  do capital social da empresa o que lhe confere, nos termos do acordo parassocial existente, o poder para nomear a maioria do Conselho de Administração e permitirá que um potencial desinvestimento, tal como previsto no programa de privatizações, seja efectuado em condições mais atractivas.

 

C/ Angop

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (74)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (14)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2020 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD