Connect with us

Economia

Sonangol descarta responsabilidades sobre greves nas empresas petrolíferas

Published

on

As constantes manifestações de funcionários de diversas empresas do sector petrolífero que estão desavindos com as direcções destas empresas, junto do edifício central da Sonangol, levou a petrolífera nacional a emitir um comunicado, enviado ao Correio da Kianda, em que descarta responsabilidades sobre os vários actos que têm vindo a suceder-se.

O documento esclarece que a Sonangol manteve contrato por tempo determinado com as empresas Angola Offshore Services, HR Services, Comassica e Interserviços e, que em função da conjuntura macro económica, ficaram dispensados alguns dos serviços, em 2018, tendo cumprido com as suas obrigações legais, como a comunicação prévia, e indemnização às empresas e esta, por sua vez, efectuaram as devidas indeminizações aos trabalhadores.

Algum tempo depois, continua a nota, alguns trabalhadores das empresas referenciadas, que durante a vigência dos contratos foram destacados para, temporariamente, prestarem os seus serviços a favor da Sonangol Distribuidora, alegam ser vítimas de injustiça, pelo facto de a Sonangol ter absorvido, em função das qualificações específicas, idade e desempenho, um determinado número de trabalhadores das empresas em causa.

“Acresce elucidar que os enquadramentos feitos, a posterior, obedeceram a critérios e necessidades pontuais de preenchimento de algumas funções sensíveis em certa unidades, acção completamente independente dos vínculos finalizados com as empresas mencionadas e destas com os seus respectivos funcionários”, esclarece, acrescentando que por esta razão, as manifestações que os ex trabalhadores das empresas em causa são ilegais por terem sido pagas cabalmente, as indemnizações e compensações requeridas no processo em causa.