Connect with us

Sociedade

Sinprof na Huíla promove manifestação para exigir salários congelados

Published

on

O País

Os professores desactivados do Sistema Integrado de Gestão Financeira do Estado (SIGFE), em Abril último, pelo Ministério das Finanças, prometem sair às ruas da cidade do Lubango na Sexta-feira e no Sábado da presente semana para exigirem a reactivação dos seus nomes. Esta foi uma das decisões saídas da assembleia extraordinária realizada Sábado, no Lubango, pelo secretariado do Sindicato Nacional dos Professores (SINPROF) na província da Huíla.

João Francisco, que orientou a assembleia dos professores, informou a O PAÍS que a marcha terá início às 9 horas, com partida defronte à sede do Governo Provincial da Huíla, e percorrerá várias artérias da cidade. A assembleia foi convocada em consequência da paralisação das aulas em três escolas primárias e secundárias da cidade do Lubango. Os professores dessas escolas reclamam há três meses a reinserção dos seus nomes nas folhas de salário, contudo, sem sucesso.

A situação, dizem, está a criar transtornos nas suas vidas. Segundo João Francisco, a aludida manifestação servirá também para reivindicar por mais diálogo entre o SINPROF e a Delegação Provincial das Finanças e o Governo Provincial da Huíla, este último, através do Gabinete Provincial da Educação. “O que mais cria tristeza do lado dos professores é que o Ministério das Finanças e a Delegação das Finanças estão descompassados” desabafou a fonte. Disse que tentativas feitas junto do Governo local para saber em que pé está o processo de reinserção dos professores abrangidos pela medida do Ministério das Finanças foram infrutíferas, pelo facto de, supostamente, o governador se ter recusado a receber o SINPROF.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *