Connect with us

Politica

Sindicato dos Jornalistas reprova postura da TPA e RNA nos actos de “intolerancia política” do Uíge

A luta por uma liberdade de imprensa ideal no País, continua a ser um dos principais desafios do Sindicato dos Jornalistas Angolanos, que, nesta segunda-feira, comemorou os seus trinta anos de existência, com uma conferência realizada em Luanda, onde foram distinguidos, pelos seus feitos, vários Jornalistas nacionais, com destaque para os do Novo Jornal e da Rádio Luanda.

Published

on

Fundado em 1992, o Sindicato dos Jornalistas Angolanos reafirmou nesta segunda-feira, 28, continuar a lutar por uma liberdade de imprensa ideal no País, que no entender do seu secretário, o País continua a recuar, no capitulo das liberdades de imprensa.

O líder sindical, criticou a postura dos mídias estatais nos actos de “intolerancia política”, que decorreram nas últimas semanas na Provincia do Uíge, Município do Sanza Pombo, onde, os dois principais partidos políticos no País (MPLA e UNITA), protagonizaram actos que culminaram com a destruicão de bens públicos e privados.

Para Teixeira Candido, a postura dos médias estatais, nos acontecimentos de Sanza Pombo, Provincia do Uíge, foram parciais, violando deste modo o artigo 17 da constituicão da república, carta magna do País.

“Não há muita gente hoje satisfeita com a postura da média pública, e a costituicão nos termos do seu artigo 17 diz que, os orgãos públicos têm de conceder tratamento imparcial, tratamento igual, a todos os actores. Disse, o líder sindical, Teixeira Cândido, acresecentando, não ser “crível, que, os atacados falem, e quem ataca, não fala, é preciso ouvir quem ataca, saber das motivacões dele, e se porquê que resolve uma situacão com conflito. Temos de ouvir o outro lado, esta é a postura da média, e se a média dá um lado só, estamos na verdade a fomentar confusão no País. Criticou, referindo-se a postura dos orgãos como a TPA e Rádio Nacional, na cobertura dos últimos acontecimentos no Uíge.