Connect with us

Sociedade

Sindicato denuncia “escravatura moderna” nas empresas nacionais

Published

on

A Central Geral dos Sindicatos Livres de Angola (CGSILA) vai interpelar, nos próximos dias, a Inspecção Geral do Trabalho, por causa do “silêncio” daquele órgão face ao que considera como “escravatura moderna”, que, segundo o sindicalista, se pratica em muitas empresas, sobretudo nacionais.

O secretário geral da organização, Francisco Jacinto, faz referência ao caso de uma empresa mineira, na província da Lunda Norte, que supostamente acantonou os trabalhadores durante quatro meses, sem contacto com a família.

“Esses trabalhadores são propensos a acidentes por causa da elevada carga horária”, denunciou, em declarações exclusivas ao Correio da Kianda.

Outro problema que preocupa a CGSILA é a inexistência em muitas empresas de seguro obrigatório de acidente e doenças profissionais. Segundo a instituição, as entidades empregadoras, por exemplo, refutam-se a cumprir com as suas obrigações, em relação ao trabalhador que adquiriu invalidez durante o trabalho.

Por outro lado, informou também que Angola registou 15 casos de acidentes de trabalho, de Janeiro a Julho do presente ano, sendo que os casos são frequentes nas empresas mineiras, construção civil e transportes, sobretudo camionistas, denunciou o sindicalista.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.

Colunistas