Connect with us

Educação Financeira

Sete dicas para superar o vício das tecnologias

Published

on

Sabe quantas vezes olha para o seu telemóvel para ver mensagens do Whatsapp, “sms” e chamadas perdidas por dia? Tente realmente contar o número de vezes e ficará de «boca aberta»? De certeza que centenas de vezes e isso multiplicado por x tempo, perceberá que muito do seu tempo de 24 horas ´e passado com os seus aparelhos electrónicos, incluindo o telemóvel.

Actualmente, é quase impossível encontrar um local público sem pelo menos uma pessoa distraída com um (pelo menos!) telemóvel na mão. O vício em tecnologia é real e em alguns países até existem grupos de terapia para tentar superar essa dependência. Que seja do meu conhecimento, em Angola, tais grupos de terapia ainda são inexistentes, mas pode ser uma questão de tempo… por isso, nada melhor do que apresentar dicas e técnicas para quem precisa diminuir o consumo e a obsessão pelas telas.

Ficam, então, sete conselhos para ter melhor qualidade de vida com menos telemóveis:

1 – Elimine momentos de ócio

Quando não temos nada para fazer, podemos ter a mania de passar o tempo no telemóvel. Podemos e devemos estar a fazer outras coisas e estar com pessoas. O telemóvel é hoje um objecto que tem vindo a substituir a companhia com pessoas reais. Com rotinas no passado muito comuns, como ler jornais, revistas, livros. Tenha momentos de deleite. De puro divertimento sem ter que ser, por exemplo, a ver redes sociais.

2 – Use a tecnologia a seu favor

Ironicamente, alguns aplicativos podem ajudar a largar o vício em tecnologia. O _Moment_, para iOS, diz quantas vezes você acessou o telemóvel por dia; no App _Detox_, você é avisado quando ultrapassa o tempo pré-determinado para usar a internet; e o _Off Time_ serve para bloquear distracções como jogos.

3 – Não conte apenas com a força de vontade

Desligar o computador ou deixar o telemóvel bem longe parece simples, mas é preciso mais do que força de vontade para ignorá-los completamente. É preciso reconhecer que é difícil «competirmos» com esses produtos inovadores das empresas bilionárias. Quase tudo nas tecnologias são sedutor. Tudo ao «sabor» e à de um clique, mas tenha mais disciplina pessoal e conviva com pessoas que têm uma relação saudável com as tecnologias de informação, seguindo o ditado: “Diz-me que és, diz-me com quem andas”.

4 – Desligue tudo antes de dormir

Uma hora, meia-hora antes de dormir, desconecte-se de todos os seus aparelhos. O brilho das telas interrompe a produção de melatonina, que dá ao cérebro um sinal de que é hora de dormir, segundo especialistas. Tente, mas tente mesmo deixar os seus dispositivos noutro quarto para evitar a tentação de usá-los enquanto não adormece.

5 – Comece aos poucos

Como deixar de fumar repentinamente não faz bem à saúde física e mental, quanto à tecnologia cortar os hábitos de forma brusca não é a melhor saída. Comece por desligar o telemóvel durante o jantar. Depois de algum tempo, tente deixar o aparelho em casa enquanto sai para caminhar. Estabeleça seus próprios limites. Comece com pequenas mudanças e tente novos progressos com o tempo. Verá resultados na qualidade do seu sono.

6 – Desligue notificações

Os telefones inteligentes (“smartphones”) têm a capacidade de alertar ou notificar sobre tudo o que acontece neles, o que provoca que os receptores humanos, nomeadamente da dopamina, substancia libertada no sangue e gera alertas por via dos sentidos: visão, tacto, olfacto, audição, e esta possibilidade dos telefones inteligentes é uma forma de «recompensa», pois o ser humano cria uma certa ansiedade por novidades permanentemente.

Tenha outras fontes de recompensa, como a convivência com pessoas que lhe agregam valor à sua existência.

7 – Planeie pequenas pausas

Estabeleça alguns momentos do dia feitos para “pausas tecnológicas”. Entre 15h e 15h30, por exemplo, desligue o telemóvel e deixe-o fora de alcance. Escolha uma tarefa específica para fazer durante esse tempo. Tente adicionar várias pausas e inclua as refeições: nesses momentos, aproveite para observar melhor o que acontece ao seu redor. Nas refeições do almoço e jantar, pelo menos, estabeleça uma regra simples: refeições sem telemóveis à mesa.

Ter uma relação saudável com as tecnologias é um passo para ter qualidade de vida. Ter uma vida menos sedentária, com mais saúde e com mais companhia de pessoas que lhe fazem bem. É ter tempo para passear, ver o mar, estar numa esplanada a ler aqueles livros que há muito templo «clamam» pela sua leitura atenta.

Até para a semana.
Estamos juntos.