Connect with us

Opinião

Sensibilidade e Solidariedade em tempos de Covid-19

Tomás Camba

Published

on

Nos últimos dias, o mundo se tornou um lugar estarrecedor com a chegada do Novo Coronavírus ( Covid-19 ). Num curto espaço de tempo temos 410 mil casos da  Covid-19 e 18 mil óbitos em decorrência da pandemia no mundo todo, sendo Angola um dos países na lista com poucos casos: até hoje temos quatro casos confirmados, segundo o Ministério da Saúde de Angola. Isso mostra como o poder do contágio do Covid-19 é altamente veloz.

Diversos países estão adotando medidas de contenção para evitar maior número de contágios e evitar um colapso para os sistemas de saúde mundiais. Por isso, os governos estão trabalhando juntos com a OMS elaborando e aplicando medidas que visam o bem comum.

Em Angola o governo, na figura do presidente da república Sua Excelência João Lourenço, decretou Estado de Emergência. No entanto, não precisamos de alarmismo, outrossim, cabe-nos cumprir tais medidas para que possamos sair dessa situação caótica. Em países como o nosso, onde se registra uma enorme fragilidade dos sistemas de saúde e saneamento básico, cabe alertar a população para o cumprimento dessas medidas, cujo objetivo visa evitar um estado de caos social total.

As restrições impostas pela Covid-19 trarão sérios problemas para a economia mundial; decerto, a nossa economia não escapará disso. Num cenário como esse, precisamos exercitar a sensibilidade e solidariedade, sem as quais será muito doloroso e custoso passar por essa pandemia. Ouvem-se relatos de supermercados cheios, armazéns cheios, fruto das Fake News que se têm espalhado com tanta rapidez à semelhança do vírus.

Precisamos alertar a nossa população para que se tenha um cuidado redobrado com as informações que circulam nas redes sociais, dado que a maioria delas são falsas e ajudam a espalhar o alarmismo em nossa sociedade; esse alarmismo gera um caos que impossibilita o cumprimento das medidas estabelecidas pelo governo e torna difícil a diferenciação das notícias verdadeiras e falsas. Ora, para nos informarmos corretamente, precisamos verificar se tais informações são oriundas de jornais confiáveis, do governo de Angola e da OMS. Fazendo essas simples avaliações, estaremos a evitar a proliferação de Fake News e ajudando a manter a estabilidade social.

Este é também um tempo de reeducação social para os angolanos: nas lojas não precisamos sair comprando todas as coisas, precisamos pensar no próximo. É necessário ter sensibilidade, essas pequenas ações nos ajudarão a passar por esse momento difícil.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *