Connect with us

Mundo

Seis candidatos concorrem às eleições na RDC

Published

on

Um total de seis candidatos irão disputar as eleições presidenciais de 20 de Dezembro de 2023, na República Democrática do Congo, dentre eles, o actual presidente, Félix Tshisekedi, que concorre ao segundo mandato.

Nesta quarta-feira, 27, o presidente do partido político Movimento Lumumbista Progressista (MLP), Franck Diongo, apresentou a sua candidatura na sede da Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI):

“Defendemos a transparência para que o processo eleitoral em todas as suas fases seja correcto, verdadeiramente justo e sincero ”, declarou, citado pela imprensa local.

Estão na disputa, igualmente, os candidatos Augustin Matata Ponyo, Mutamba Constante, Radjabho Tebabho e Rex Kazadi à liderança do país que é o quarto mais populoso do continente africano, com mais de 86 milhões de habitantes, atrás apenas da Nigéria, da Etiópia e do Egipto.

Por sua vez, Tshisekedi anunciou ontem a criação de um grupo de coordenação das equipas de campanha eleitoral. A estrutura tem como objectivo coordenar todas as actividades relacionadas a recandidatura do número um de Kinshasa.

“O líder criou a estrutura que irá coordenar todas as actividades atribuídas às suas equipas de campanha. Essas equipas estarão localizadas em vários níveis. O primeiro será o das grandes regiões. Teremos onze directores de campanha, um para cada grande região do nosso país. Teremos então vinte e seis directores a nível provincial, portanto serão vinte e seis”, explicou o Coordenador do Conselho de Monitorização Estratégica Presidencial, François Muamba.

A República Democrática do Congo é o maior produtor mundial de cobalto para baterias. Entretanto, a riqueza mineral, incluindo vastas reservas de cobre e ouro, alimentou o conflito entre milícias, tropas governamentais e mesmo invasores estrangeiros.

Neste momento, o país debate-se com um conflito no Leste entre o governo congolês e os rebeldes do Movimento 23 de Março (M23) que opôs, Kinshasa à Kigali.

De recordar, que 450 militares das Forças Armadas Angolanas (FAA) estão na RDC tendo como missão apoiar as operações de manutenção de paz e asseguramento das áreas de acantonamento do M23, na região Leste da República Democrática do Congo.

FMI revisa crescimento da RDC em 2022 para 8,5%

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.