Connect with us

Luto

Seguidores de Kalupeteka perdoam Kundi Paihama por envolvimento no massacre do Monte Sumi

Published

on

Os seguidores do líder fundador da Igreja Adventista do Sétimo Dia A Luz do Mundo, criada em 2001, por José Julino Kalupeteka, reagem com tristeza a morte do ex-governante general Kundi Paihama, com sentimento de compaixão e de perdão ao autor moral do massacre ocorrido na localidade de São Pedro Sumé, chamada “Monte Sumi”, onde aguardavam em acampamento o “fim do mundo”, vaticinado para o final de 2015.

Para os seguidores de José Kalupeteka, apesar da participação directa do ex-governador do Huambo, na altura general Kundi Paihama, no conflito que se alastrou e culminou em massacre, detenções, confrontos físicos entre seguidores de Kalupeteka e as forças de segurança e Defesa de Estado, os fiéis, em entrevista ao Correio da Kianda, declaram que o político já “foi perdoado faz tempo”, porque, segundo eles, Paihama “não sabia o que estava a fazer”, recorrendo-se nas diversas histórias bíblicas, sobre perseguição dos fiéis.

Abel Jorge Vineval, um dos responsáveis de um grupo dissidente desta seita em Luanda, diz que, “enquanto humanos, não temos capacidade de julgar os feitos praticados na terra, apenas sentimos e recebemos a informação com bastante dor e consternação pela morte do Kundi Paihama”.

“Nesta vida, todos nós temos um preço a pagar, em função daquilo que fazemos, mas, independentemente do que ele fez, não julgo que ele fez bem de perder a vida nesta fase, porque acredito que os afazeres negativo, sobretudo aqueles que acreditam em Deus, quem pode cobrar a factura é Deus. Ele apenas fez o papel dele, se fez de forma negativa ou positiva quem saberá julgar melhor é o próprio Deus”, disse.

O responsável religioso acredita que a fadiga devido a idade, já não lhe permitia viver por muito tempo. “Creio que a idade já não lhe permitia viver por muito tempo”, vaticinando que “antes da sua morte entregou-se a Cristo”.

Já outro responsável, Julante Paulo, recorre-se a historicidade bíblica para esclarecer qual foi a missão do ex-governante, no incidente que matou mais de mil pessoas e vários desaparecidos.

Julante Paulo acredita que o seu líder será solto, “não determinamos quando isso irá acontecer mas acreditamos que o senhor José Julino Kalupeteka será solto. Isso significa que é um sinal positivo, mas não desejamos a morte a ninguém, nem mesmo para o senhor que na altura foi governador e conduziu pessoalmente a nossa perseguição”.

“Podemos falar e as pessoas poderão nos dizer que somos loucos, mas a Bíblia é clara, quando se trata do fim daqueles que perseguem os cristãos, se não mesmo a morte prematura”, argumentou.

De recordar que o ex-governante Kundi Paihama, morreu na madrugada de hoje, aos 75 anos, em Luanda, na clinica Girassol, vítima de doença prolongada.

Saiba mais sobre o “Caso Kalupeteka” aqui 

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (17)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (89)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania