Connect with us

Politica

Secretário Nacional da JURS defende reabertura de restaurantes e actividades recreativas

Published

on

O secretário nacional da Juventude de Renovação Social (JURS), Gaspar dos Santos Fernandes, defendeu, nesta segunda-feira, 28, em Luanda, ao Correio da Kianda, a reabertura dos restaurantes e espaços de lazer, bem como actividades de promoção de eventos, “o mais breve possível”, sustentando que podem dar “um contributo fundamental para a retoma económica do país, bem como a sustentabilidade, quer dos proprietários dos espaços como dos funcionários”.

De acordo com o político do PRS, as regras que o Governo definiu para o funcionamento dos restaurantes e similares, em Luanda, anunciadas pelo ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida em que a abertura destes estabelecimentos, de segunda a sexta-feira, das 6 às 18 horas, para atendimento presencial e até às 22 horas para serviços de entrega ao domicílio, “já não tem sustentabilidade visto que tem se verificado maiores aglomerações e ajuntamento em actividades de massa política partidária e nos transportes públicos”.

O líder da JURS garantiu que depois do contacto que manteve com alguns proprietários dos restaurantes e similares e alguns funcionários, asseguraram que estão “preparados para reabertura total dos espaços” ainda, se possível, já na próxima segunda-feira. Gaspar dos Santos Fernandes sustenta que estes estabelecimentos são “responsáveis por mais de 300 mil postos de trabalho em todo país e também podem dar um contributo fundamental para a retoma da economia, pelo que é essencial o seu regresso ao normal funcionamento o mais brevemente possível”.

“É importante que o Governo tenha em conta que as actividades que se mantêm impedidas de funcionar, nomeadamente as actividades de restauração e similares, bem como os espaços de promoção de eventos para consumo de refeições no interior dos centros comerciais, aos fins-de-semana são responsáveis por uma percentagem significativa das lojas dos centros comerciais e, por isso, têm um peso determinante na retoma da economia do país ”, sustenta o político.

Segundo o Secretário Permanente Nacional da JURS, a indústria dos centros comerciais “cumpre com os mais elevados padrões de segurança sanitária que, a par da segurança contra incêndios em edifícios, da segurança de pessoas e bens, e da segurança alimentar dos espaços de restauração, constituem os pilares da operação diária de um centro comercial”. Gaspar dos Santos disse diferente das que tem se verificado nos últimos actos de massas político partidárias protagonizadas pelo MPLA e UNITA, e nos transportes públicos, bem como nos mercados informais, quer em Luanda, como nas demais províncias do país.

De forma a mitigar a propagação da pandemia de covid-19, o Governo impôs diversas condições para a abertura de restauração e similares, nomeadamente o uso obrigatório de máscara e a sua abertura apenas a partir das 7 às 18 horas, em Luanda, e das 7 às 20 horas nas demais províncias.

As demais províncias aos fins-de-semana estão autorizados a abrir das 6 às 20 horas, para atendimento presencial, e até às 22 horas para serviços de entrega.

Adão de Almeida reafirmou que a violação das regras dá direito a multas que vão dos 250 mil a 400 mil kwanzas e em caso de reincidência o encerramento temporário.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (17)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (89)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania