Connect with us

Politica

Secretário do MPLA em Luanda apela vigilância contra os inimigos da estabilidade no país

Published

on

O primeiro secretário provincial do MPLA em Luanda, Manuel Homem, alertou a sociedade e os militantes do seu  partido, em particular, a se manterem vigilantes contra o que considerou inimigos da estabilidade nacional.

O político, que falava este sábado durante o acto de reinauguração do Comité Distrital do MPLA no Benfica, no município de Talatona, disse que o comportamento do maior partido na oposição em Angola não admira, pois sempre foram contra o país e o povo.

Na quinta-feira, o MPLA acusou a UNITA de estar a orquestrar uma “estratégia de tomada de poder fora do quadro político institucional vigente”.

A posição do partido no poder em Angola foi uma reacção a uma iniciativa da UNITA “para a constituição de Processo de Acusação e Destituição do Presidente da República”.

Um dia antes, na quarta-feira, aquela força política, na oposição, havia anunciado a intenção de levar ao Parlamento um expediente jurídico que visa, no essencial, destituir o Presidente da República.

Entre outras alegações, o maior partido da oposição aponta supostas violações da Constituição, interferências no poder legislativo, judicial e no Banco Nacional de Angola, pelo Titular do Poder Executivo, alegações que o MPLA refuta.

Durante durante o acto de reinauguração do Comité Distrital do Benfica, no município do Talatona, Manuel Homem apontou algumas prioridades do MPLA em Luanda.

Na ocasião, o político sublinhou a materialização do plano geral de reorganização e revitalização das estruturas de base daquele partido, a par da realização de jornadas politicas e patriótica designadas “Meu Partido, Meu CAP”.

Entre as prioridades do MPLA em Luanda estão, igualmente, a preparação de assembleias de balanço e renovação de mandatos, em 2024, acções de formação política e ideológica dos militantes, bem como o aprimorar da “máquina” de informação e comunicação.

Quanto ao Comité Distrital do MPLA no Benfica foi reconstruído reapetrechado, 17 meses depois ter sido vandalizado e ateado fogo, durante uma greve de taxistas.

Com Angop