Connect with us

Politica

Saúde: Ministra diz “tolerância zero” ao mau atendimento nos hospitais

Published

on

A ministra da Saúde disse que a partir de agora é “tolerância zero” aos gestores de unidades sanitárias em que se registar um mau atendimento aos utentes que se deslocaram em busca de tratamento médico.

Sílvia Lututuca, falava à Comunicação Social no último sábado, aquando da visita que o Presidente da República efectuou ao Hospital do Prenda, Distrito Urbano da Maianga, em Luanda, depois do episódio de mau atendimento a uma utente, que acabou por perder a vida naquela unidade de referência, o que veio a desencadear uma revolta pelos parentes da malograda.

Lembrar que no acto, conforme noticiou o Correio da Kianda, um médico terá sido, supostamente atirado da janela pelos parentes da utente, tendo fraturado uma perna.

“Tolerância zero às más práticas, ao mau atendimento aos utentes. Prestar assistência médica é um acto de amor, de compaixão, e que nós temos que prestar muita atenção porque as pessoas já estão numa situação vulnerável”, reconheceu.

Acrescentou ainda ser necessário primar por um atendimento humanizado aos utentes.

“E não podemos, em cima de tudo que já se está a passar com a saúde do paciente, agravarmos ainda mais. Do ponto de vista psicológico nós estamos a torturar alguém”, referiu.

A ministra da Saúde disse que com vista a primar pelo atendimento humanizado nos hospitais do país, o seu departamento ministerial está a promover acções de formação, os hospitais dispõem dos respectivos gabinete do utente.

“Nós fizemos sair uma circular tolerância zero, e é mesmo tolerância zero”, disse, garantindo que vários processos disciplinares contra profissionais que procedem um mau atendimento.

Disse ainda que se for necessário, principalmente quando encobrirem, as direcções dos hospitais serão punidas.

Entretanto, apelou os utentes dos hospitais, à cultura de urbanidade.

Sobre o médico que terá sido atirado da janela abaixo, Sílvia Lutucuta garantiu que já se encontra em recuperação depois da intervenção cirúrgica a que foi submetido, na sequência das graves lesões que contraiu.