Connect with us

Politica

Sapalo António critica ida de Samakuva à palácio presidencial

Published

on

O ex-presidente da bancada parlamentar do PRS, Sapalo António, reagiu de forma negativa à ida do ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, ao palácio presidencial, convidado por João Lourenço, para abordar questões relacionadas aos acontecimentos do último fim-de-semana, com grande destaque à manifestação organizada pela sociedade civil, que contou com o apoio da UNITA.

“O convite ao ex-presidente da UNITA visava criar um ambiente anormal no “galo negro” para dividir e desorientar”, escreveu. E acrescenta que o convite à Samakuva “foi uma desinteligência”.

Na opinião do economista e antigo vice-ministro da Indústria do Governo de Reconciliação Nacional (GURN), não se justifica, nesta fase em que o “regime do MPLA violenta os cidadãos manifestantes e atropela a Constituição da República de Angola, convidar Isaías Samakuva, visto que em Angola tem vários ex-presidentes partidários”.

Sapalo António, em conversa com o Correio da Kianda, nesta quarta-feira, 28, questionou que a par de Isaías Samakuva, o presidente  João  Lourenço “deveria ter convidado os ex-presidentes do MPLA, José Eduardo dos Santos, do PRS, Eduardo Kuangana, da FNLA, Ngola Kabangu, e tantos políticos respeitáveis”.

O político do PRS considera que tal convite tem uma intenção destrutiva: “muitas pessoas, emocionalmente, classificam como sendo um gesto de magnitude sem entrarem no fundo estratégico da intenção destrutiva”.

Para o economista, João Lourenço, antes e depois da manifestação dos jovens da sociedade civil, neste sábado, 24, cometeu dois erros: “alteração do Decreto Presidencial antes do prazo (9 de Novembro) impondo normas inconstitucionais para a violência política e física à democracia e aos manifestantes e o convite ao Samakuva como se fosse único ex-presidente de partido político ou mais velho de Angola”, lamentou.

João Lourenço recebe Isaías Samakuva