Connect with us

Sociedade

Samba: cerca de 600 famílias aguardam realojamento há mais de 10 anos

Published

on

Povoado e Cabo Ledo são dois bairros de auto construção localizados em Luanda. As famílias que habitam nesta zona costeira do morro da Samba aguardam pela resposta de realojamento há mais de 10 anos, através dos programas habitacionais do Governo.

Segundo informação colhida pelo Correio da Kianda no local, neste sábado, 21, há nos bairros Povoado e Cabo Ledo mais de 700 construções de casas de chapas, sendo que aproximadamente de 70 famílias já se beneficiaram de moradias nas zonas do Zango e no Panguila-Bengo, com apoio do Governo da Província de Luanda, na pessoa do ex-governador Higino Carneiro. Contudo, outras 600 famílias foram excluídas desse processo de realojamento e aguardam até hoje por uma alternativa habitacional.

De acordo com Pedro Alexandrina, morador do bairro Povoado, a zona com maior número de habitantes entre as duas localidades, no local reside cerca de 500 famílias, que corresponde quase a três mil pessoas.

Já na zona do bairro do Cabo Ledo reside cerca de 100 famílias, que corresponde a cerca de 1200 pessoas, que habitavam na Ilha, na Areia Branca, mas foram desalojados em 2013, pelas forças de segurança do Estado, segundo os moradores habitavam naquela localidade há mais de 50 anos.

A realidade social daquela povoação é lastimável. Cerca de 80% dos moradores são desempregados e um número reduzido sobrevive da pesca artesanal. Os moradores desses bairros convivem com os mosquitos, fazem necessidades em zonas de pescas e clamam por água, energia, escola e posto médico.

Segundo um dos responsáveis da comissão dos moradores, já enviaram várias cartas aos três órgãos de soberania do país, com realce ao Presidente da República e ao vice-presidente,  do antigo e novo governo, mas até hoje nunca obtiveram resposta.

Colunistas