Connect with us

Mundo

Saída de países da CEDEAO poderá comprometer integração da região do Sahel – especialista

Published

on

O especialista em relações internacionais José Inácio, defende que a saída do Níger, Mali e Burkina Faso da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental poderá beneficiar a Rússia, tendo em consideração os recursos que possuem.

“Essa medida só irá beneficiar a Rússia, devido a sua potencialidade económica e aproximação com esses países”, disse.

Entretanto, entende que a situação poderá descoordenar o combate ao terrorismo e comprometer a integração político-económica da região do Sahel, que possui uma população estimada em 1,095 milhões de habitantes.

“A saída desses países pode fomentar o terrorismo e desencorajar o seu combate na região”, frisou.

Os líderes das juntas militares do Níger, Mali e Burkina Faso deixaram este domingo, 28, a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, desafiando a pressão dos líderes da CEDEAO para restaurarem o regime constitucional.

Os três países estavam suspensos do bloco regional, desde a tomada do poder pelos militares, no Níger, a 26 de Julho de 2023, que seguiu-se aos Golpes de Estado no Burkina Faso, em Setembro de 2022, e no Mali, em Maio de 2021.

Numa declaração conjunta divulgada pela Reuters, as juntas disseram que a CEDEAO “havia se afastado dos ideais de seus pais fundadores e do espírito do pan-africanismo e acusaram o bloco de não ajudar na luta contra os insurgentes islâmicos e de acabar com a insegurança”.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.