Connect with us

Politica

“Sabotagem de camiões de comida é reflexo da má governação que se assiste em Benguela”

Published

on

O Secretário da UNITA em Benguela criticou, nesta quarta-feira, 29, a governação de Luís Nunes como “estando a se revelar cada vez mais incapaz de renovar as esperanças de vida dos benguelenses que, no seu entender, vão se tornando cada vez mais mendigos, com a fome a obrigar populares a sabotarem camiões de comida”, conforme se assistiu nos últimos dias na zona do Lobito, considerou Adriano Abel Sapiñala.

Em entrevista exclusiva ao Correio da Kianda, ontem, na sede do seu partido, em Benguela, o número 1 da UNITA em terras de Ombaka considerou a actual situação social de Benguela, como estando a se tornar “cada vez mais degradante, com a fome, a mendicidade e a prostituição a se tornarem um cartão postal de quem visita a província”.

Entre as várias revelações feitas pelo político da UNITA a este jornal, a par da sabotagem dos camiões de comida, o que de acordo com Adriano Sapiñala deve-se a má governação, destacam-se ainda o aumento nas ruas de Benguela de crianças vulneráveis, que encontram-se sujeitas à mendicidade, e da prostituição que se verifica nas redondezas da praia Morena, o que tem estado a se transformar, segundo o político, “num cenário de bastante tristeza e preocupação”.

“Um povo trabalhador como de Benguela, que sempre se dignou a colher do seu próprio punho, hoje está a ser submetido àquelas situações de saque de camiões. Isso tudo vem revelar o estado caótico em que está a província de Benguela, o que nos remete também para a própria questão da governação”, disse.

Questionado sobre a avaliação que faz da governação de Luís Nunes no comando da província, o Secretário da UNITA classificou-a de desprimorosa, acrescentando, que Luís Nunes, diferente da Huíla, não se adapta à província de Benguela.

“Infelizmente, o governador de Benguela tem estado a se revelar impotente diante das situações da província. Está aqui há seis meses, e até agora não se nota nenhuma esperança, e nenhum resultado naquilo que poderíamos chamar a semente que ele lançou quando chegou, e o que vamos assistindo é uma Benguela estagnada, e com tendências para piorar”, afirmou.

Apesar das críticas feitas à governação de Luís Nunes em Benguela, abrangendo o sector da saúde, o que de acordo com o político da UNITA, os hospitais públicos locais não têm dado respostas eficazes e um atendimento mais humanizado ao índice elevado de casos de malária na província, Sapiñala, ao contrário do sector social, onde fez duras críticas ao actual governador, elogiou a postura dos órgãos de comunicação em Benguela, apontando como sendo abertos para UNITA.

“É importante com honestidade referir que sempre que os convidamos, aparecem, e, aliás, por vezes, por iniciativas deles também nos chamam para darmos um ou um outro comentário, é importante pontuar isso”, disse, referindo aos órgãos de comunicação social.

Nos últimos dias, as redes sociais ficaram inundadas com imagens do assalto ao camião de toneladas de arroz que foi sabotado em Benguela, por populares, o que levou alguns internautas a associarem o facto, com um suposto cenário de penúria alimentar que, alegadamente vive-se em Benguela, e um pouco por toda parte do país.