Connect with us

Mundo

Rússia apoia uso do yuan nas transacções entre Rússia e países da Ásia, África e América Latina

Published

on

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou que nas últimas conversas com o presidente chinês, Xi Jinping, houve uma troca de opiniões “franca e substancial” sobre as perspectivas de desenvolvimento das relações russo-chinesas e fortalecimento da coordenação na arena mundial.

A Rússia apoia o uso do yuan chinês nas transacções entre Rússia e países da Ásia, África e América Latina, afirmou o presidente russo, Vladimir Putin, nas negociações com a liderança chinesa em formato alargado.

“Somos a favor do uso do yuan chinês em transacções entre a Rússia e países da Ásia, África e América Latina. Tenho certeza de que essas formas de pagamentos se desenvolverão entre parceiros russos e colegas de países terceiros em yuans”, disse Putin.

Praticamente todos os parâmetros do projecto do gasoduto Força da Sibéria 2 foram acordados, disse o presidente russo.

“Acabamos de discutir um bom projecto, é o novo gasoduto Força da Sibéria 2 através da Mongólia. Praticamente todos os parâmetros deste acordo foram acordados. São 50 bilhões de metros cúbicos de gás – de suprimentos confiáveis e estáveis da Rússia”, disse Putin.

Putin também observou que para garantir a soberania tecnológica é a chave para o desenvolvimento sustentável da Rússia e da China.

“Somando nosso rico potencial cientifico e capacidades de produção, a Rússia e a China podem se tornar líderes mundiais em tecnologias da informação, segurança de rede e inteligência artificial.”

Por sua vez, o presidente chinês, Xi Jinping, declarou que está pronto, juntamente com o presidente russo, Vladimir Putin, para delinear um plano para o desenvolvimento das relações bilaterais entre a Rússia e a China e fortalecer a coordenação entre os dois países.

“Entre nossos países estão se aprofundando a confiança política mutua, multiplicando os interesses comuns, aproximando os povos, está se desenvolvendo de modo consistente a cooperação nas dimensões comercial, econômica, de investimento, energética, cultural e regional.”

O líder chinês acrescentou que durante a reunião informal realizada na véspera com o presidente da Federação da Rússia, bem como durante as conversas com o primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, pela manhã e as conversas no Kremlin em formato restrito, as partes “trocaram opiniões sobre questões do alargamento no âmbito da cooperação”.

As relações entre a China e a Rússia mostram uma dinâmica saudável de desenvolvimento, afirmou o presidente chinês durante as negociações com o líder russo.

“Graças aos nossos esforços comuns, as relações sino-russas demonstram uma dinâmica de desenvolvimento saudável e estável. A confiança política entre nossos países está se aprofundando, os interesses comuns estão se multiplicando”, disse Xi Jinping nas conversas.

“Proponho fortalecer a coordenação e a colaboração para agregar valor adicional à cooperação prática. Senhor presidente, estou pronto para delinear com o senhor um plano de desenvolvimento das relações bilaterais e da cooperação prática no interesse da prosperidade e do renascimento da China e da Rússia”, concluiu Xi Jinping.

O presidente chinês, Xi Jinping, chegou ontem (20) a Moscou com uma visita oficial para negociar com o presidente Vladimir Putin. O líder chinês visita a Rússia, de 20 a 22 de Março, a convite do presidente da Federação da Rússia. Esta visita é sua primeira viagem ao exterior após sua reeleição para o cargo de chefe de Estado da China para um terceiro mandato.

Com agências internacionais

Colunistas