Connect with us

Sociedade

Retirada dos cartões de subvenção vai agravar situação económica dos taxistas – ANATA

Published

on

A Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola (ANATA) disse que a retirada dos cartões de subvenção do combustível aos taxitas vai agravar a situação económica dos homens dos azuis e branco e poderá pesar também no bolso do cidadão.

De acordo com o presidente da ANATA, Francisco Paciente, em declarações ao Correio da Kianda, os taxistas já têm passado momentos difíceis com a retirada em circulação de quase 30 por cento dos veículos, o que pode influenciar no preço das corridas nos próximos dias.

O Presidente da ANATA disse, por outro lado, “que foi apanhado de surpresa”, e acrescenta que apesar de não concordar com a medida, é necessário que os taxistas se ajustem a nova realidade.

Segundo Francisco Paciente será necessária a alteração do preço da corrida do táxi, para que os profissionais possam manter a actividade funcional. E apela à calma e ponderação dos seus associados.

Entretanto, a Associação dos Motoqueiros e Transportadores de Angola (AMOTRANG) diz que já previa a retirada da subvenção, por considerar que os verdadeiros moto-taxistas não se beneficiaram desta subvenção e que a sua retirada não irá atrapalhar a actividade dos motoqueiros, que até já se tinham auto-regulado.

A informação foi avançada ao Correio da Kianda pelo responsável da AMOTRANG, Bento Rafael, que reforça ainda que quem se beneficiava com a subvenção eram pessoas que não pertenciam à classe.

Bento Rafael diz não haver razões para os moto-taxistas realizarem manifestação porque no dia-a-dia essa actividade é auto-regulada pelos próprios motoqueiros, em concordância com os passageiros antes da viagem.

O responsável da AMOTRANG afirma que não havia da parte dos bancos regularidade no carregamento e existiam muitas incompreensões.

Recordar que o Governo vai deixar de subsidiar a gasolina aos taxistas. A partir de 30 de Abril, o plafond dos cartões de subsídio à gasolina será removido.

A informação consta de um Despacho Presidencial em que é revogado o diploma de 1 de Junho de 2023, que aprovava a atribuição do subsídio à gasolina para produção agrícola, pesqueira e para o transporte intermunicipal, inter-urbano e urbano de passageiros.