Connect with us

A voz do Cidadão

Rescova era dos poucos líderes juvenis do MPLA que venceu o complexo de superioridade e cinismo

Published

on

Foi com profundo choque, que a nova geração de líderes emergentes tomaram conhecimento da morte por doença de Sérgio Luther Rescova.

Foi um duro golpe constatar que se interrompeu uma viagem tão curta, na terra, de um jovem na flor da idade, que fazia parte de uma pequena elite que representa a desejada transição geracional, num país, onde a geração da independência já não tem quase nada mais a oferecer!

Rescova era dos poucos líderes juvenis do partido que venceu o complexo de superioridade e o cinismo, pois se fez amigo e irmão de jovens como Rafael Aguiar, Liberty Chiaka, Walter Ferreira, Mfuca Muzemba, José Gama e muitos outros, tidos como críticos e incómodos pelo regime!

É inaceitável a maneira célere e banal como, num país que diz investir rios de dinheiro na saúde, suprimi-se a vida e também a missão do Rescova, que é dos poucos que, tão cedo, se adaptou rapidamente ao novo paradigma de recuperação de valores morais e éticos e abraçou, efusivamente, o combate à corrupção, impunidade e o nepotismo em Angola.

Nunca vamos nos conformar termos perdido Rescova, pois era dos poucos jovens, que mesmo sob a cortina da ideologia e disciplina partidária de ferro, cultivava liberdade de pensamento e de expressão e interacção com jovens de todas as classes sociais.

Rescova e Patrícia Faria

A morte repentina de Rescova representa também um duro retrocesso em relação a ascensão da nova geração na hierarquia social e de assunção de altas responsabilidades perante a nação!

Esta e tantas outras mortes de jovens, e não só, por motivos banais é uma invasão inaceitável à um grupo geracional pobre de dirigentes em lugares de destaque no nosso país e continente. Não aceitamos, simplesmente, que Rescova morreu! Estamos revoltados com todo o sistema político, social, económico, cultural, em particular, com o sistema de saúde, de assistência médica e medicamentosa, pois os sistemas sócio políticos implantados são incapazes de proporcionar protecção e promoção de novos talentos, de travar a morte da nova geração, num país pobre de dinheiro e recursos naturais.

Isto que chamai de morte e que levou o nosso Rescova é uma ameaça a nova geração! Por isso, não bastará lamentar, chorar, relembrar, é absolutamente obrigatório, sim, que as autoridades políticas e sanitárias prestem uma informação minuciosa, rigorosa e verdadeira sobre as causas reais da morte de Sérgio Rescova. Mas, também exigimos, hoje e agora, um plano real e exequível de identificação, promoção, protecção de novos talentos, da nova geração. Pois, os jovens são a garantia de vida saudável para as crianças e boa e prolongada velhice da terceira idade!

Juventude não é amanhã, é hoje, mas sem exclusão compulsiva ou morte prematura.

Caros jovens, desde o período pré-colonial em todas as nossas comunidades etnolingüísticas a morte de um jovem promissor, rico em energia, valores, sabedoria, aspirações e sonhos foi sempre um terramoto, pois significa a morte da aldeia, da nação! Por isso, não lamentamos, não choramos e sim nos revoltemos-nos contra a insensibilidade, contra o débil sistema médico e medicamentoso, contra mortes sem sentido como a de RESCOVA e de outros jovens, que nos deixaram prematuramente.

Basta! Queremos vida longa e feliz, óh sistema político, óh sistema de saúde!

Paz à sua alma, mas a luta pela longa e feliz vida da nova geração deve se intensificar com a união de todos em todos momentos!

RESCOVA,

Aceita, onde quer que esteja neste momento o teu espírito, do Dr. Sílvio, de Hilbert Ganga, de Cassule, Camulingue, de Cherock e de tantos outros, oiçam o nosso grito, a nossa indignação e aceitem a nossa profunda gratidão pelo contributo prestado à pátria e à nação! Saúdem Agostinho Neto, Hólden Roberto e Jonas Savimbi e transmitam que aqui, lutaremos sempre para que o mais importante seja resolver os problemas do povo para que este povo conserve a independência e tenha terra cuja divisão da sua riqueza, primeiro sejam sempre os angolanos e os angolanos sempre!

Vosso irmão e amigo Rafael Aguiar, Walter Ferreira, Mfuca Muzemba, Liberty Chiaka, José Gama, Adão Ramos, Nuno Carnaval em nome de todas e todos jovens revoltados com a sua morte e de tantos que adiantaram.

Estamos juntos irmão, amigo, mano, camarada e companheiro Rescova, ontem, hoje e sempre!

Por: Rafael Aguiar – Secretário Executivo Nacional da CASA-CE