Connect with us

Politica

Relatório da IGAE arrasa gestão da TAAG e coloca em ‘suspense’ futuro dos administradores

Published

on

Desde 2017, data que marca a ascensão de João Lourenço à Presidência da República, e consequentemente uma mudança na filosofia de actuação do Governo angolano, que casos nítidos de desvios financeiros e/ou corrupção têm tido paragem na Justiça, situação que pode vir a suceder com membros do Conselho de Administração da TAAG, que o mais novo parecer de técnicos seniores da IGAE aponta para “falhas graves” no domínio da gestão financeira. As suspeitas antes da inpecção profunda foi a causa da exoneração do então secretário de Estado para os sectores da Aviação Civil, Marítimo e Portuário, Emílio Vumpa de André Londa.

Relatório ainda não conclusivo dos técnicos da Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE) “arrasa completamente” com a actual gestão da companhia de bandeira TAAG, apurou o Correio da Kianda, junto de fontes do Ministério dos Transportes.

O parecer da IGAE com informe contundente à presente situação da companhia de bandeira angolana, que já conheceu ‘dias melhores’, resulta da inspecção que está em curso na entidade, e que identificou “falhas graves nos domínios da gestão financeira, de recursos humanos, operacional e de manutenção”.

A situação, que antes mesmo de a investigação ser mais profunda, determinou a exoneração do então secretário de Estado para os sectores da Aviação Civil, Marítimo e Portuário, Emílio Vumpa de André Londa, coloca em claro ‘suspense’ o futuro dos membros do Conselho da Administração da TAAG, que pode ser mais gravosa do que uma simples cessação das funções, tendo em conta que, desde a ascensão de João Lourenço à Presidência, houve uma mudança na filosofia de acção não só do Governo, mas também dos órgãos de Justiça, que passaram a ser mais actuantes.

Da investida que ainda está por vir, Rui Carreira, que no ano passado acusava o anterior Conselho de Administração de gestão danosa, e que acabou por substituir Emílio Londa, por decisão de João Lourenço, parece ser dos poucos que deverá ser isento do ‘turbilhão’ que há-de vir.

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. Abilio Ferreira

    25/11/2023 at 8:06 am

    Bom dia caríssimo eu sou lesado desde abril na viagem Lisboa/ Luanda me danificaram a mala 💼 de porão e até agora não pagaram indenização já fiz várias tentativas várias deslocações andam a jogar o jogo gato e rato..e de lamentar está situação..a TAAG companhia aérea de Angola… Tem de melhorar suas formas de trabalho e serem mais honestos com os passageiros

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *