Connect with us

Mundo

Relações entre Rússia e Coreia do Norte estão a entrar numa “nova era de prosperidade” – Kim Jong Un

Published

on

As relações entre a Rússia e a Coreia do Norte estão a entrar numa “nova era de prosperidade”. A afirmação é do líder norte-coreano, durante um encontro com o presidente russo em Pyongyang, após assinatura de um tratado sobre parceria estratégica abrangente, por Vladimir Putin e pelo líder norte-coreano Kim Jong Un.

“O novo documento substitui o tratado de amizade e assistência mútua de 1961, o tratado de 2000 sobre laços bilaterais e as Declarações de Moscovo e Pyongyang de 2000 e 2001”, explicou o assessor presidencial russo, Yury Ushakov, que citou que “o novo documento é necessário por causa das profundas mudanças na situação geopolítica na região e no mundo e nos laços bilaterais entre a Rússia e a Coreia do Norte”.

Avançou, igualmente, que “o novo documento observará todos os princípios fundamentais do direito internacional, não será confrontacional ou direcionado contra nenhum país e terá como objetivo garantir maior estabilidade no nordeste da Ásia”.

Kim Jong Un prometeu reforçar a “amizade vigorosa” entre os dois países, de acordo com as suas observações traduzidas para russo e citadas pelas agências de notícias oficiais russas.

A Coreia do Norte “reforçará ainda mais a comunicação estratégica com a Rússia e as autoridades russas” face a uma situação que “se está a tornar mais complicada” no mundo, acrescentou.

No início do encontro com Kim Jong Un, Putin tinha dito “apreciar o apoio sistemático e permanente” da Coreia do Norte à política russa, informaram ‘media’ russos.

Assistência mútua

O acordo assinado hoje em Pyongyang entre a Coreia do Norte e a Rússia prevê também a prestação de assistência mútua em caso de agressão, anunciou o Presidente russo, Vladimir Putin.

“O acordo de parceria global (…) prevê igualmente a prestação de assistência mútua em caso de agressão contra uma das partes do acordo”, declarou Putin após conversações com o líder norte-coreano, Kim Jong Un, segundo a agência noticiosa russa TASS.

Putin referiu declarações dos Estados Unidos e de outros países da NATO sobre o fornecimento à Ucrânia de armas de longo alcance, aviões F16 e outro armamento para, segundo disse, atacar o território russo.

“Não se trata apenas de uma declaração, isto já está a acontecer e tudo isto é uma violação grosseira das restrições assumidas pelos países ocidentais no âmbito de vários tipos de obrigações internacionais”, afirmou.