Connect with us

Desporto

Racismo: jogadores da NBA se recusam a jogar como forma de protesto

Published

on

NBA

Os Milwaukee Bucks não compareceram no desafio com os Orlando Magic, nesta quarta-feira, 26, naquele que seria o 5º jogo da primeira ronda dos “play-off” da Conferência Este, em protesto contra a mais recente onda de violência policial nos Estados Unidos da América.

Os Toronto Raptors e os Boston Celtics também planeiam um boicote ao encontro marcado para a noite desta quinta-feira, a contar para as meias-finais da Conferência Este da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA).

No domingo, Jacob Blake, um afro-americano de 29 anos de idade, foi atingido nas costas por sete tiros, quando se deslocava para o carro, onde estavam os filhos.

A vítima encontra-se em estado grave, numa unidade hospitalar.

 “Os jogadores estão desiludidos por ver a mesma coisa a acontecer num espaço tão curto de tempo. Primeiro o George Floyd, agora Jacob Blake. Eles querem ser parte da solução e querem justiça. Este boicote surgiu como uma forma de exigir mais justiça, uma forma de agirem”, assumiu Nick Nurse, treinador dos Raptors, segundo a edição online do jornal “abola.pt”.

Esta situação leva a que os jogadores ponderem mesmo colocar um ponto final na actual temporada da NBA.

Por Angop

EUA: família de afro-americano morto pela polícia vai processar as autoridades