Connect with us

Sociedade

Quase 24 milhões de angolanos usam serviço de telefonia móvel

Published

on

Cerca de 23 milhões 977 mil 537 de angolanos são usuários de telefonia móvel em Angola e, dentre 100 angolanos, pelo menos 28 usufruem de serviços de internet, quer fixo ou móvel, segundo dados disponibilizados pelo Instituto Angolano de Comunicações (INACOM).

De acordo com o documento, até Dezembro do ano passado, o país havia registado 9 349 591 internautas, contra os 7 834 774 verificados até ao final de 2021.

Os dados indicam que ao menos 28 em cada 100 angolanos dispunham de subscrições afectas aos serviços de internet mediante acessos fixos e ou móveis, sendo que as operadoras do segmento móvel detêm 93% da quota de inscritos, avança a Angop.

Quanto aos números de subscritores dos serviços básicos disponibilizados pelas operadoras de redes de telefonia móvel celular a nível nacional, o país alcançou os 23 977 537 usuários, superando os 15 327 866 registados até ao final de 2021.

Os dados significam que até ao mês de Dezembro de 2022, 72 em cada 100 angolanos, dispunham de subscrições afectas aos serviços básicos das redes de telefonia móvel celular, com a operadora UNITEL a deter 70% das subscrições.

Em relação à telefonia de linhas fixas, apresentou uma redução de 25 869 usuários, pois até Dezembro de 2021 estavam a utilizar a rede 119 837 pessoas, ao contrário das 93 968 registadas ao final do ano transacto.

A fonte informa que no mês de Dezembro de 2022, um em cada 100 lares e empresas em Angola dispunham de subscrições afectas aos serviços básicos das redes de telefonia fixa.

Cerca de 98 por cento da quota de subscritores neste segmento encontra-se repartida de forma quase equitativa entre os operadores TV CABO (45%), MS Telecom (36%) e Angola Telecom (17%).

Em relação a TV por assinatura, o INACOM reporta que houve um aumento de 167 mil subscrições. Em 2021 o país havia registado 1 869 450 utilizadores, tendo se fixado em dois milhões 36 mil 763, em finais de 2022.

O segmento satelital detém 94% da quota de subscritores, finaliza o comunicado.

Colunistas