Connect with us

Sociedade

Prostituicão no Huambo: Congolesas disputam clientes com adolescentes

António Sacuvaia

Published

on

- prostitutas - Prostituicão no Huambo: Congolesas disputam clientes com adolescentes

O índice elevado de prostituição na Provincia do Huambo tem estado a ganhar contornos preocupantes, e torna-se a cada a dia que passa, numa prática que cresce assustadoramente nos dias que corre, naquela que é conhecida como a cidade vida de Angola.

O jardim da cultura por exemplo, transformou-se num “prostibulo”, onde a noite a dentro, congolesas e adolescentes locais, disputam clientes com o convénio de alguns seguranças que trabalham nas proximidades, e que emprestam seus postos de trabalho, para prostituição, em troca de pagamentos.

A par do Jardim da cultura, outros locais de maior concentração do “negócio” são os bares e pensões. Para algumas “profissionais” do sexo, abordadas pelo Correio da Kianda, apontam o desemprego, como a real causa do fenómeno bastante visado às noites no centro da cidade do Huambo, enquanto que outras, evocam o desamparo familiar originado por divórcios e separações.

Oitocentos a dois mil e quinhentos kwanzas, são os preços cobrados pelas congolesas por cada relação, enquanto que as adolescentes locais, que disputam clientes com as estrangeiras, cobram preços inferiores que vão dos quinhentos a 1800 por cada cliente.

Ermelinda Saiovo, nome fictício, foi uma das quatro jovens abordadas pela equipa de reportagem do Correio da Kianda e que aceitou falar para nós. Com 16 anos de idade, proveniente da Província de Benguela, conta, ter entrado no negócio por convite de uma amiga, e que por falta de alguém que lhe possa ajudar, acabou por ficar.

“ Eu vim de Benguela em 2015, deixei lá o meu marido e a minha filha porque estava a sofrer. Por convite da minha amiga vim ao Huambo, alugamos um quarto, e como não temos como nos sustentar comecei a vir no largo da cultura me prostituir para poder conseguir dinheiro. Explica!

Com idade entre os 14 aos 17, as adolescentes envolvidas em práticas de prostituição com adultos na cidade do Huambo, disputam com as congolesas com idades de 25 a 45 anos num negócio, que segundo contam tornou-se rentável, e vai ganhando mais clientes a cada dia que passa.

Continue Reading
Advertisement
1 Comment

1 Comment

  1. Avatar

    Teodoro Hermenegildo

    14/10/2019 at 2:56 pm

    triste realidade até onde vai o mundo. Na verdade o índice de desemprego tem se proliferado a cada dia, mas, será que não temos como nos virar?! devemos trocar o nosso corpo por isso?

    Governo ouve o clamor dos jovens!

    jovens optem por práticas que não mancham vossa reputação.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (16)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (18)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (71)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (11)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação