Connect with us

Sociedade

Professores das universidades públicas podem voltar a greve a 27 de Fevereiro

Published

on

Os professores das universidades públicas no país poderão voltar a greve no dia 27 deste mês, caso o governo não ceda até dia 24, às suas exigências.

A informação foi tornada pública na semana finda, pelo secretário geral do Sindicato dos Professores Universitários (SINPTENU), Eduardo Peres Alberto, quando falava à imprensa no final de uma mais uma ronda negocial com o Ministério da Ensino Superior Ciência, Tecnologia e Inovação.

Segundo o responsável sindical, o ponto de estrangulamento entre as partes está na falta de acordo sobre o valor exigido para o aumento do salário dos professores.

Eduardo Peres Alberto disse que o Ministério apresentou um aumento de apenas 6%, o que está abaixo da exigência dos docentes, constante no caderno reivindicativo em posse, há anos, do executivo.

Outra exigência dos docentes universitários, está na necessidade da formação contínua, o que, segundo o secretário geral do SINPTENU, o governo não tem criado políticas para que esse objectivo seja cumprido.

Já a ministra do Ensino Superior, Ciência e Inovação, Maria Bragança, disse que o governo está empenhado em satisfazer as exigências do corpo docente das instituições públicas de ensino superior.

Sobre o aumento da tabela salarial, Maria Bragança disse que a disponibilidade financeira permitiu apenas o aumento de 6%.

Sobre o ponto em que os docentes manifestam a necessidade da formação contínua, a ministra do Ensino Superior, Ciência e Inovação disse que já foram cadastrados 300 docentes, e que está neste momento em contacto com o Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo, para com base numa quota, os docentes angolanos darem o continuação as suas formações científicas, a nível do mestrado e doutoramento.

Maria do Rosário Bragança Sambo disse ainda que o executivo está também a trabalhar no sentido de proporcionar seguro de saúde aos docentes angolanos.