Connect with us

Angola

Produção diária de petróleo pode chegar a dois milhões de barris nos próximos tempos

Published

on

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) assegura ter atenuado o ”declínio da produção” petrolífera no país, além de ter tornado os ‘campos marginais’ em ”novas oportunidades”.

A garantia foi dada nesta segunda-feira, 05, em Luanda, durante a apresentação do balanço dos cinco anos de existência da entidade responsável pela concessão de empreitadas nos sectores do petróleo e gás.

Nos dados tornados públicos, a ANPG fundamenta a perspectiva de ‘atenuação’ do declínio na produção petrolífera com o aumento na produção para 1,1 milhões de barris/dia, em 2023, além da expectativa do aumento para 2 milhões de barris para os ”próximos tempos”, considerando os investimentos realizados.

Em relação aos ‘campos marginais’, a ANPG destaca ter transformado esses ‘campos’ em oportunidade, ao ter criado condições para que o bloco 0 – campo Nsinga entrasse em funcionamento em 2021, além da entrada também em funcionamento do ‘campo marginal’ Lifua A, cujas instalações foram construídas na Base de Malongo.

No mesmo bloco, segundo faz saber a ANPG no documento de balanço, está em curso a construção das instalações do Ndola Sul, que estão a ser executadas nos estaleiros da Herema, no Porto Amboim.

Há ainda o bloco 31, que tem em fase final de aprovação o desenvolvimento de 3 campos, nomeadamente: Palas, Astraea e Juno, estando o primeiro óleo previsto para 2027.